O Zeca chegou em 2013, com o nome de Panqueca. Eu é que chamo de Zeca porque rima e porque acho que alguém tão lindo como ele não podia ter nome de comida.

Ele era de uma amiga do meu filho e chegou já com sete meses. Estava deprimido e comendo mal, porque ficava muito sozinho. Na companhia dos outros três, passa por tudo, menos tédio.

Ele chegou todo expansivo, espalhando mordidas nas orelhas de tod@s e assim, logo nos primeiros dias, levou uma surra do Rocky que, naturalmente, se sentiu invadido, pois era, até então, o macho do pedaço. Segundo “nosso” querido veterinário, o Ricardo, Rocky sentiu a invasão em seu harém… Parece que o filhotão entendeu o recado, pois parou de se meter com o Rocky. Na verdade, ele amola bastante a Zula mas, como ela é Zen, não liga muito. Ele insiste em morder as orelhas dela e é como se vingasse o Rocky, do tanto que ela já o chateou e ele suportou como um bom irmão mais velho.

Uma noite, pouco depois de chegar, ao sair pra passear com meu filho, por causa de uma coleira com defeito, ele fugiu, imagine! Quanto mais correram atrás, mais ele se foi, pois, provavelmente achou que era brincadeira. Ficaram horas buscando e nada! Quando eu soube, (só) no dia seguinte, logo que pude, mergulhei nos sites de busca de cães desaparecidos e fui anunciando. Fiz isso dezenas de vezes e, após pouco mais de um dia, recebi um telefonema de que ele tinha sido encontrado, via site “Cachorro Perdido”. É indescritível a alegria que senti! Fui buscá-lo no outro dia pela manhã (à noite não foi possível) e ele havia sido muito bem cuidado, na casa de um casal, a 400m de onde meu filho mora. Ele, certamente, tentava voltar pracasa e, quando passou pelo portão do casal, seu cachorro, o Costelinha, latiu muito. Foram ver do que se tratava e lá estava ele, muito assustado, segundo contaram. Por sorte tudo aconteceu na mesma noite, de forma que ele não passou fome e nem ficou à noite na rua. Ninguém judiou e isso é um grande consolo. Ele ganhou até banho num petshop!

Quando chegamos de volta em casa, os outros três vieram cumprimentá-lo alegremente, mas ele não deu muita atenção: estava mais preocupado em comer o que havia nas vasilhas, pois ainda não tinha tomado o “café da manhã”.

Ele é lindo demais! Quem o doou disse que é mestiço de Labrador e arrisco que seja com Beagle, pois tem cara de Beagle. É caramelo com um pouco de branco e o maior (mais alto) de tod@s, apesar de ser o caçula. É bem bonzinho, carinhoso. Graças a ele compramos uma segunda casinha e, naturalmente, eles se dividiram em dois “casais”, um em cada casa. Veja fotos do Zeca!