“Desde domingo recebi várias mensagens relacionadas à passagem de meu querido amigo Hervé. Fiquei em SBC praticamente da noite de domingo até a noite de 2ª, sem nenhuma condição de “por no papel” qualquer emoção. 

Quando meu site estava no ar, tinha um link chamado “Hervé” (anexa página de abertura). Tudo o que está escrito ali continua valendo, com exceção da frequência das “viagens” que, de semanais passaram a quinzenais e, de quinzenais a mensais, nos últimos tempos. É que nosso amigo já estava com quase 85 anos (28.06), com a saúde debilitada e bastante cansado. 

Porém, como sabíamos da imensa importância dessa prática para ele e também, evidente, como era muito bom para nós, continuamos viajando, embora apenas mensalmente. 

Nossa “última” viagem (até agora) foi no dia 5 de maio.  

* * * 

Hoje de manhã fui ao Poupatempo licenciar o carro. Às 12h30 iria (e fui) a uma apresentação do Coral Luther King (lindo!) na Catedral da Sé. Apesar de já ser dia 29, surpreendentemente o atendimento no Poupatempo foi tão rápido que, de fato, meu tempo foi poupado. Então fui passear naquelas lojas de essências, frascos e outros quetais que há por ali… lojas tão intensamente frequentadas pelo Hervé em outras épocas. Vocês não imaginam o quanto me fez bem imaginar o Hervé por ali escolhendo as essências!  Até nisso tive o privilégio de ser presenteada com seus perfumes. 

* * * 

No fim da tarde de domingo, quando ia para a casa do Hervé para fazer companhia para a Tatiana (filha) e Wanda (viúva), pensava que pessoa privilegiada eu sou, por ter conhecido, convivido e  partilhado de uma certa intimidade com ele. 

Comentei com a Tati que, de certa forma, todos sabíamos que passaríamos por isso mas… aí ela me interrompeu e disse: “Pensávamos que ele fosse imortal!” Acho que sim. 

Na 2ª feira, no velório, Patrícia disse e eu repito com toda certeza: Ele é insubstituível! 

Insubstituível pelas inúmeras qualidades que conhecemos, particularmente por sua sabedoria. Pessoas com conhecimento, há muitas. Já pessoas sábias como Hervé, são raríssimas! 

Meu pai se foi muito cedo, quando eu tinha só sete anos. De certa forma passei a vida atrás de outro pai e posso afirmar, sem dúvida (como outr@s que conviveram com ele) que Hervé cumpriu esse papel comigo por sua acolhida, atenção, dedicação, disponibilidade, generosidade e tantas outras qualidades que agora me escapam. 

Devido à proximidade de que falei acima foi que tive acesso a textos que ele escrevia sem nenhum compromisso, os quais cedeu para que eu colocasse em meu site. Ali eu os distribuí em dois arquivos: Astrologia e Outros. 

Passo a enviá-los para que vocês também possam lembrar de diferentes aspectos de nosso amigo querido.”

Ana Chieffi 

“Sentirei a falta física do Hervé mas ele continuará vivendo nas minhas lembranças e no meu coração. 

Um abraço a todos e a cada um de vocês, meus amigos nele, Alicia Beatriz Vallejo 

 

“Sinto muita tristeza pela morte do mestre. Tive a oportunidade de conhecê-lo no ano 86 quando fui para a Metodista para fazer meu mestrado e em algumas tardes, semanalmente tomava aulas com ele daqueles temas que seguramente vocês conhecem. Um par de vezes que fui para São Bernardo fui cumprimentá-lo e sempre estivemos em contato por email com os envios que fazia e que significaram muito e significam para minha vida pessoal. Mesmo na distância continuava sendo um bom amigo e excelente mestre, assim como tenho guardado em meu coração por tantos anos seus pensamentos e palavras, continuarei fazendo-o. Acompanho de espírito a cerimônia de despedida terrenal do Hervé.” Esmeralda Villegas, Bucaramanga-Colombia

 

 “As almofadas no chão,

O café,

Os gestos

Os livros na estante

Os cristais

Aquela pedra em cima da carta

Tudo me faz recordar.

Mas hoje, o observador não mais observa

Ele é observado

Pelas palavras

Que não valem nada

A percepção é

A única que justifica

Que é, na realidade profunda, o olho de nossa alma! 

Obrigado, Hervé!” Fabiano 

 

“Que saudade do Hervé… parece mentira!!!” Fátima Oliveira 

 

“Estive com ele uma única vez, mas foi marcante. Levou-me até a prateleira de livros e deu-me um livro (não me lembro bem o título) acho que o “Resgate do Eu”. É um livro xamânico sobre como procurar os pequenos “EUS” que vão embora quando sofremos grandes choques emocionais. Nunca seremos inteiros enquanto não resgatarmos essa parte. Li o livro e fiquei fascinada com a teoria. Adoraria poder lê-lo novamente e com a ajuda desse grande mestre me tornar uma buscadora desses “EUS” e integrá-lo novamente. 

Hervé…grande LUZ que continua a nos iluminar.” Ivone Ortega

 “Pelos depoimentos e sentimentos, classifico vocês como órfãos igual a mim. 

Mas como não… por outro lado estamos felizes, algo confusos, por imaginar aquele entusiasmo sereno e contagiante realizando sua vocação. 

Entusiasmo sereno, isto é a cara desse nosso druida querido. 

Tive a oportunidade de, por muito tempo, frequentar as reuniões das 6ªs feiras 

Desde alguns anos tenho recebido toda semana suas mensagens. 

Agora estou imaginando qual nova world wide web precisaremos acessar para restabelecer contato rs rs rs rs rs rs 

De uma coisa nós podemos ter certeza, ele está com o Verdadeiro Provedor…” João Wagner 

 

“Bom, com certeza ele está bem assistido, pois era uma pessoa generosa, sábia, e que nos assistia com todo seu imenso conhecimento. 

Boa vida aí Hervé, em sua mais nova existência. O melhor para você!” José Luiz Zanichelli 

 

 “Venho também deixar registrada a Minha Gratidão por ter tido a Felicidade de ter conhecido e convivido com este senhor original, único, Hervé Dassigny com seu olhar próprio da Vida e de seus Mistérios. Um homem que pensa e senti por Si, uma Autoridade Natural. Ser dos mais importantes dos que encontrei até agora, transformando o meu Viver, Abrindo as portas de meu Mundo Interior, auxiliando-me a pensar/sentir em Símbolos, e principalmente, sentir e zelar pela Divindade dentro de Mim e nos outros!!! 

Um ser que por Si, valoriza as Quadraturas, as Oposições, realça o melhor em Saturno e Plutão; viaja na Memória, esta Grande Senhora; que ri de si mesmo. Que vê nas dificuldades, oportunidades. 

SE hoje tenho uma profissão, sou Terapeuta e Astrólogo, é também graças ao senhor, mas principalmente se hoje a Vida me Encanta, se o Mistério me Encanta, se a Amplitude é tão maior, se tenho um tanto mais de sensibilidade para reconhecer onde está um Conhecimento Verdadeiro que merece ser cultivado, é graças à Inspiração que o senhor traz. 

Desejo que o senhor seja sempre bem Guarnecido; que Caronte, que o senhor também ama, esteja sendo gentil neste momento de sua passagem, conduzindo-o por Águas mansas (mesmo sabendo que das imagens que mais o marcaram, foi um temporal de relâmpagos em Paris, onde Urano se apresentava em seu Esplendor), que a Luz Verdeira o Ilumine sempre!!! 

Grato por tudo meu Querido Amigo. Felicidades, Hervé (e também mesmo sabendo que ama a noite, desejo um Sol sempre a guiá-lo)” Marcio Valério

 

“Junto o meu coração e as minhas orações , pedindo ao Criador que acolha o nosso amigo Hervé, na Luz. 

Um abraço a todos e a minha solidariedade à família do Hervé. Maria Emilia M. Oliveira 

 

 “Agradeço àqueles que compartilharam. Estava longe quando recebi a notícia. Não pude estar de corpo presente na despedida de meu querido amigo, mas meu coração estava lá. Exatamente como ele me ensinou. Um grande Ser, que me ensinou a pensar com o coração, a sonhar com a mente desperta, a conversar com a minha Alma e com a Alma das flores. Sem palavras para expressar minha admiração, amor e gratidão. Nosso amigo, caminhante das estrelas, agora ilumina outras paragens.” Maria Grillo 

 

“Ele deve ter sido instrumento de inúmeras curas, que vem de dentro de cada um (cura-te a ti mesmo), basta o empenho e a atitude de ajudar na ampliação da consciência da complexa dança de energias, como ele chamou essas forças em jogo no processo saúde-doença. E assim Hervé permanece vivo em sua arte de contribuir para mobilizar as energias para a auto-cura, a única e verdadeira cura… Viva Hervé! Isso faz pensar que somos todos UM, desde os seres unicelulares, até os seres ditos mais complexos, como o ser humano, passando pelos animais, somos todos uma energia só, mas foi e é conveniente para o sistema que sejamos vistos como entidades separadas. Quem se eleva, eleva o mundo. Trocando em miúdos, quem se conscientiza sobre a importância da religação da Energia Vital (que move cada ser vivente) com a Energia Universal, nos processos de autocura, contribui para a cura da humanidade, como um todo.

Neiva 

 

“Fiquei muito triste, mas tento pensar nele de forma feliz, pois ele é uma fonte inesgotável de amor e conhecimento. E isso nunca vai morrer. Tudo que ele me disse, sempre ficará em minha mente. As viagens, as imagens, tudo!!!

Pérola Tortoriello 

 

“Estive com ele apenas três vezes, há muito tempo, mas me lembro muito bem do jeito especial, doce, bem humorado, alegre e misterioso. 

Hoje dancei e me lembrei muito dele… Tenho certeza de que ele está em um lugar também especial, feliz, dançando com o universo, como ele já fazia neste planeta.” Priscilla Herrerias 

 

Como descrever o sabor de uma manga? De todas as colocações fantásticas que ouvi do Hervé (pessoalmente ou relatadas pela minha mãe), essa é a minha predileta. Uma pergunta simples, pura e repleta de simbolismo, assim como tudo que dizia respeito ao nosso querido amigo francês. 

Hervé é provavelmente a pessoa mais encantadora que conheci ao longo de 28 primaveras. Seu interesse pelo outro e pelo novo fizeram dele uma pessoa leve, dinâmica, curiosa e com um frescor quase juvenil. Via o mundo com olhos de criança, sempre indagador, contestador e insatisfeito com respostas fáceis. Olhos brilhantes, vivos, que transmitiam sabedoria e bondade em doses equivalentes. Ajudava a todos sem restrição de data e horário em sua própria casa, uma extensão mobiliada de seu bondoso e alegre coração. Proferia as palavras mostrando um certo cuidado em sua escolha, preocupado que era de se fazer entender. E elas saíam sempre com graça, com suavidade, com aquele sotaque gostoso que trocava a sílaba tônica e multiplicava os erres das palavras, levando todos às gargalhadas. 

Certa vez contei a ele como eu estava apaixonado por uma pessoa, e o que aquele sentimento causava em mim. Hervé ouviu a história encantado, pontuando cada comentário com um “imprressionant” ou “incrrrivelll”, sempre acompanhados por genuínas exclamações. Quando terminei, tivemos uma longa conversa sobre o tal do amor. Como dois bons amigos no bar, como professor e aluno debatendo sobre um exercício na sala de aula, como avô e neto compartilhando ideias e sonhos guardados dentro da casca de um ovo de dragão. 

Para muitos ele foi um oráculo, com respostas precisas para suas dúvidas existenciais.

Para outros tantos ele foi um mestre, com opiniões e ideias diferentes de tudo que já aprenderam.

Para alguns foi um amigo querido, um pai zeloso, um companheiro presente e afetuoso.

Para mim, Hervé foi um sopro de sabedoria e alegria que encheu o mundo de luz e tocou com carinho a vida de muitas pessoas. 

Descanse em paz, vô. E retorne muitas e muitas vezes para saborear todas as mangas que Deus fez pra você. 

Com amor,” Renato Chieffi 

 

“Muitíssimo obrigada por compartilhar este belo depoimento do seu filho a respeito do queridíssimo Herve. 

Nós alunos sem o mestre, nós todos um pouco órfãos agora, temos as doces lembranças e os lindos ensinamentos dele guardados na alma.” Angélica 

 

“Lindo, Ana! Lindo e sensível. Meu beijo pro Renato.” Célia 

 

“Que palavras bonitas Renato, me faz concordar plenamente. Um olhar de criança, olhos vivos, brilhantes, um indagador que transmitia sabedoria e bondade em doses equivalentes. Abraços fraternos Renato/Ana. Não os conheço pessoalmente, mas compartilho os conhecimentos e sentimentos do nosso querido Hervé, então estendo meu carinho a esse grupo que teve o privilégio de estar muitas vezes com ele. Que ele esteja em paz profunda, a paz que quis imprimir a todos que o procuravam, que desejavam sorver um pouco do muito que ele tinha para ensinar e revelar.”

Conceição Ferraz 

 

“Não tive o prazer de conhecer o Hervé, mas pela descrição do Renato, ele com certeza devia ser muito especial.”

Cristina Bueno 

 

“Que coisa linda que o Renato fez! Tenho certeza que o Hervé está feliz em saber quanto era querido aqui na Terra e que este amor dos amigos é eterno. Lindo demais! 

Estou encantada com as coisas lindas que o Hervé deixou. A Vivência dele aqui na Terra deu muitos frutos. Que bom para quem o conheceu e pode curtir muito a sua companhia e conhecimento!” Fatiminha 

 

“Que lindo! Muito bom texto! Seu filho tem um estilo muito gostoso e fluente de escrita. Deu gostinho de querer ter conhecido o Hervé.” Ricardo Ondir 

 

Que maravilha!!! Palavras cheias de lirismo e amor!

Há uma fragrância tão Herveana (novo adjetivo) nas palavras de Renato que todos saberão quem ele foi ao ler esta bela homenagem!  

De todas suas qualidades (inúmeras) do Hervé, a que mais me impressiona é a generosidade!

Dava-nos tudo sem temor e quanto mais doava mais tinha para nos doar!”

Sueli Corvelo – O amor é mais forte do que a morte – Salomão 

 

 “Não consegui me despedir do Hervé em sua última viagem conosco… preferi guardar na lembrança ele rindo de nossas viagens e falando com seu sotaque inconfundível interressant!!! 

No momento do enterro, me recolhi e entrei em uma viagem, na intenção de soprar-lhe no ouvido, palavras que considerei de suma importância que discutimos no último encontro a que estive presente, quando comentávamos as orientações do Bardo Thodol e espero que ele tenha se lembrado das frases que você citou, não importa o que veja ou ouça, tudo é ilusão, procure a Luz, mesmo com toda sabedoria, não sabemos o quão pode ser confuso este momento… 

Embora saibamos que a vida é só um instante, como a Emília de Monteiro Lobato sugere: O homem pisca e nasce, pisca e cresce, pisca e casa, pisca e morre… e depois vira hipótese… Talvez eu tenha alimentado a esperança de que Hervé, (e outras poucas pessoas) seriam daqueles a usufruir da tecnologia e viver até os 250 anos como anunciam os cientistas; ou talvez porque gostaríamos que fossem imortais para podermos nos orientar através de sua Luz, pois são como um farol para aqueles que como eu buscam um motivo maior de sua passagem pela Terra; 

Estou compartilhando meus sentimentos somente com você e não com o restante do grupo, porque sei o quão é verdadeiro seu carinho por ele, mesmo porque não conhecia outros além de você, Hugo e Márcia (transmita a eles meus sentimentos). 

Embora fosse recente minha amizade com Hervé, e os demais, sempre senti um carinho especial por todos, daqueles que só se tem, quando se vive muito tempo junto, que embora hajam divergências, o carinho é superior a qualquer contraste e somos capazes de ouvir sem entrar em discussões infrutíferas, apenas porque respeitamos e permitimos ao outro ser e pensar diferente. 

Sentirei sua falta e lamento não ter compartilhado mais.” Rosely Tadeu 

 

“Jamais conheci alguém como Hervé que tinha a capacidade de sintetizar o que realmente importava e o que deveríamos fazer para alcançar bons resultados. 

 “Sinto-me privilegiada pela oportunidade de ter conhecido o Hervé. Triste é a sua partida. Mas convicta que sou da reencarnação e do reecontro em outro plano, sabemos que isto é só uma passagem. Creio que todos nós já nos conhecemos em vidas anteriores pela afinidade que temos.  

Comecei a viver realmente, depois que tomei contato com as meditações e a espiritualidade. Agradeço a Deus por cada grupo de pessoas amigas que encontro e com as quais posso partilhar o desenvimento da espiritualidade.”

Vanessa Yamamoto 

 

“A melhor atitude para os discípulos companheiros e amigos do Hervé será lembrar suas realizações quando dentre nós que sobramos. Deixemos as lágrimas para os parentes. E elas serão muitas para prantear sua ausência física. Agora poderemos tê-lo das alturas a nos inspirar. Poderá seu ser expandir ainda mais seu nível de consciência e alcançar os limites do universo a caminho do inefável! Viveu muito e plenamente o nosso companheiro Hervé. Agora que pegou de vez o trem para as estrelas em sua mais longa e produtiva viagem astral, só nos resta lhe desejar…

Bon Voyage, Monsieur Hervé! 

Deixamos nosso querido amigo de sempre sob um sol de uma tarde linda!

Seu semblante transmitia a serenidade de quem contempla o mundo espiritual pela enésima vez!

Au revoir mon ami! 

Foi assim… Fui chamado para atender o Hervé em casa. Ele tava meio doentinho, na cama e não queria tomar remédio de homem branco. A Ruth estava lá, mas saiu um pouco. A Vanda desceu e ficamos nós a trocas ideias (naquele tempo ainda com o acento).

- Tudo bem Hervé você não querer omar remédio de homem branco, mas a Homeopatia precisa de você vivo pra te ajudar…

- Tá bom (com sotaque francês).

No fim, receitei algo meio fitoterápico, algo homeopático ou antroposófico e pronto.

Quando a Ruth voltou, estávamos concluindo a consulta, cobrando os honorários de um jeito diferente, como ele queria. Ela se assustou quando nos encontrou tomando um belo vinho da adega do Hervé e comendo um maravilhoso doce de chantilly com morangos…

Bem do jeito Hervé de ser… Em alto estilo.” Wagner Bellucco 

 

“Sinto-me bastante triste com a morte, com a sua passagem… pois assim gosto de pensar!!! Sempre me mandou incríveis emails sobre vida sobre tudo de tudo!!! Sempre fui grato a tanta sabedoria e cultura que pude aprender em suas mensagens. Obrigado a todos e que a bondade do “doador” possa estar junto a todos nós e que esta corrente de sabedoria deixada por Hervé continue em nossos corações e Espírito!! 

SEMPRE FUI FÃ DOS EMAILS QUE HERVÉ ME ENVIAVA, POIS CONTINHAM SEMPRE MUITA SABEDORIA E PROFUNDAS LIÇÕES. MUITO DO QUE APRENDI NESTES EMAILS MUDARAM A MINHA MANEIRA DE VER AS PESSOAS E O MUNDO!!!” Wagner Santaliestra