chieffi » Oriente http://chieffi.com.br site da ana maria chieffi Thu, 23 Nov 2017 03:05:02 +0000 en-US hourly 1 http://wordpress.org/?v=3.5.2 Viagem pro lado de lá http://chieffi.com.br/viagem-pro-lado-de-la/ http://chieffi.com.br/viagem-pro-lado-de-la/#comments Wed, 10 Apr 2013 21:00:44 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=1079 Read More »]]> ÍNDIA, EM JAN./2013

Doha, capital do Qatar

Bangalore e o banho de energia

Trichy e os seus três templos

Thiruvannamalai e Arunachala

Chennai, capital de Tamil Nadu

Varanasi, cidade de Shiva

Rishikesh, capital mundial do Yoga

Delhi, a capital da Índia

]]>
http://chieffi.com.br/viagem-pro-lado-de-la/feed/ 0
Viagem à Índia em Jan./2013 http://chieffi.com.br/viagem-a-india-em-jan-2013/ http://chieffi.com.br/viagem-a-india-em-jan-2013/#comments Sun, 07 Apr 2013 23:00:53 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=1039 Read More »]]> Quando, há quase um ano, eu disse que ia à Índia, houve quem estranhasse na base do “o que você vai fazer lá?” Ou: “quando você for à Europa me chame” e outros quetais. Isso, mesmo sabendo (imagino) que a Índia tem intensa atividade turística o ano todo e que eu sou praticante de Yoga há mais de 30 anos… Respeito opiniões diferentes e afirmo que me fez muito bem ir a este país tão antigo (que faz da linda e limpa Europa um bebê), com tanta história, tanta espiritualidade, tanta magia, tanto amor, tanta… tanto…

Pra começar, vou logo dizendo: tem muita pobreza? MUUUITA!!! Muita sujeira? TAMBÉM!!! A pobreza se manifesta para nós nos pedintes, que se aglomeram nos pontos turísticos e não aceitam “não” como resposta. São insistentes demais e isso incomoda por mais de uma razão. Trata-se de uma verdadeira “atividade econômica”, da qual só se escapa ensurdecendo. Eu elegi um critério que apliquei por toda a viagem: dei esmolas aos deficientes físicos e ponto. Abri uma exceção em Varanasi para um senhor de idade que me abordou e me acompanhou longamente na rua. Ah, e quanto dar, se há produtos no valor de 5 rúpias (R$ 0,20)?? Eu não tinha coragem de dar só uma moedinha de 1 ou 2 rúpias e, como fui parcimoniosa, a cada vez doava 10 rúpias.

Quanto à sujeira, há quase um século Gandhi lutou muito pelo saneamento básico. Conseguiu algo à época mas, a impressão que passa, é que seus sucessores não tiveram a mesma sensibilidade. Observamos em Rishikesh que estão quebrando “tudo” justamente nesse sentido, mas vimos muitos “rios” (?) poluidíssimos em plena zona rural no sul. Não pense em zona rural como no Brasil, onde se viaja muitos quilômetros sem ver ninguém. Não, zona rural na Índia é totalmente habitada. Ah… não vi n-i-n-g-u-é-m defecando na rua, como fui prevenida antes de partir…

É bom lembrar, tanto em relação à pobreza, quanto à sujeira, que se trata de um país com seis vezes mais habitantes que o Brasil e com área 2,5 menor, isto é: tem densidade demográfica 15 vezes superior à nossa!

Isso posto, A-M-E-I a Índia! Yes, I LOVE INDIA!! Espero poder voltar!!! Tem uma energia indescritível no ar, nas pessoas, nos animais. Tem muita alegria! Tem muita calma… Tem muito amor. Sim, amor.

As pessoas SÃO alegres. Como dizia meu querido amigo Hervé, “são felizes sem causa”. Só por ver alguém fotografando, correm felizes (crianças e adultos), sorrindo. Só por isso, pois nunca terão essa foto! Sorriem em situações que não sabemos sorrir, na maior parte das situações são gentis.

As mulheres são muito elegantes! Principalmente no sul andam quase sempre de saree. É uma roupa complicada, enrolada no corpo e elas, com muita elegância, carregam toras de madeira e fazem outros serviços assim vestidas. É lindo de ver! Sei que fazem isso há milênios, mas é admirável do mesmo jeito!!

Os animais… ah, os animais! Em Delhi há poucas vacas e cabritos pelas ruas, mas há muitos cães, macacos… e esquilos nas árvores! Em todas as outras cidades pelas quais passamos havia também muitas vacas e cabritos. Pra quem, como eu, ama o contato com animais foi DEMAIS! As vacas se aproximam, nem que for só pra receber um carinho. E (quase) sempre recebem, claro. A sujeira que fazem deixa de ter qualquer importância, diante do contato com elas. Os cães são muito alegres! Aproximam-se abanando o rabo, como se fossem velhos conhecidos. Quantas ninhadas! Curiosamente a imensa maioria esmagadora de vacas e cães (uns 90% ou mais) são fortes e tem pelo bonito. Os macacos são ariscos, mas gostei demais da proximidade. Em Varanasi há também búfalos. Não são mansos como as vacas, mas são lindos!

Um esclarecimento: quando se fala a palavra templo, não necessariamente está se referindo a uma construção tipo igreja, como conhecemos. Um templo pode ser – e muitas vezes é – um grande complexo, com vários hectares, áreas cobertas ou não, pátios, grandes tanques de água etc.

Ainda aqui no Brasil me disseram que a Índia é uma overdose nos sentidos. Verdade: há muitas cores, muitas formas, muita gente; muito barulho, pessoas falam alto e o trânsito é caótico como era (ou ainda é) o do Cairo; desde sempre são os senhores dos temperos, das especiarias – daí que os sabores são marcantes e a comida é muito apimentada! Os cheiros… sentimos dos melhores – inclusive até os sabonetinhos dos hotéis são deliciosamente perfumados – até os piores: proporcionalmente a aqui, há quem urine nas ruas… e o tato: como é muita gente, às vezes esbarra-se. Mas também há as sedas, os cashemires…

Muito importante esclarecer o seguinte: os hindus são monoteístas. Há muuuitos anos (mais de 7.000) os rishis (antigos sábios da Índia) criaram sua mitologia e assim surgiu um “deus” para cada situação. É por isso que há tantos “deuses” na Índia. Na verdade, assim como para os cristãos Deus se manifesta em três pessoas, para os hindus Ele se manifesta de inúmeras formas (como homem, mulher ou animal), mas é sempre um único Deus.

***

Eu “me preparei” pra ir à Índia. A partir do roteiro, li bastante. Daí que montei um material que começa com uma poesia do Yogananda (autor de Autobiografia de um Yogue e vários outros livros) e dados históricos do país:

MINHA ÍNDIA – PARAMAHANSA YOGANANDA

Não onde o almíscar da felicidade exala
Não onde a escuridão e os temores nunca pisaram
Não nas casas dos sorrisos eternos,
Nem no céu de uma terra de prosperidade eu nasci.

Se eu tiver que vestir novamente um traje mortal
O medo da fome pode rondar e rasgar a minha carne,
No entanto, eu amaria estar novamente na minha Hindustan.

Um milhão de ladrões de doença
Podem tentar roubar a saúde passageira do corpo;
E nuvens de sorte
Meu chuveiro escaldante sai queimando tristezas
No entanto, eu iria lá, na Índia, amor a ressurgir!

É este o amor de meu sentimento cego que não vê os caminhos da razão?
Ah, não! Eu amo a Índia,
Por lá eu aprendi primeiro a amar a Deus e todas as coisas lindas.
Alguns ensinam a aproveitar a gota de orvalho inconstante, a vida,
Deslizando a folha de lótus do tempo;
Esperanças teimosas são construídas em torno da dourada e frágil bolha do corpo
Mas a Índia me ensinou a amar
A alma de beleza imortal na gota de orvalho e a bolha
Não sua frágil estrutura.
Seus sábios me ensinaram a encontrar o meu Self
Enterrado sob os montes de cinzas das encarnações da ignorância.
Apesar de uma terra de muito poder, abundância e ciência.

Minha alma, às vezes vestida como um oriental, às vezes, como um ocidental,
Viajou distante e amplamente buscando-se;
Por fim, na Índia, para encontrar-se.
Mesmo que fogos mortais devastem suas casas e seus dourados arrozais,
Para dormir sobre suas cinzas e sonhar com a imortalidade,
Oh Índia, aí hei de estar!

As armas da ciência e da matéria
Cresceram em suas margens no entanto, ela está invicta.
Sua alma é livre sempre!
Seus santos guerreiros estão fora,
A derrota com realização dos bandidos de ódio, preconceito e egoísmo patriótico;
E para queimar as paredes das trevas de separação entre crianças e um Pai
Os irmãos ocidentais, por questão de poder, conquistaram minha terra.

Os moluscos saem de todas as conchas!
A Índia agora invade com amor, para conquistar suas almas.
Melhor do que o Céu ou Arcádia
Eu Te amo, ó minha Índia!
E teu amor eu darei para cada nação irmã que vive.
Deus criou a terra;
O homem criou os países confinantes
E suas imaginárias e frias fronteiras.
Mas com imenso amor recém-descoberto
Eu contemplo a fronteira da minha Índia
Expandindo para o mundo.
Saudação, mãe das religiões, lotus, beleza cênica, e sábios!
Tuas portas largas estão abertas,
Recepcionando os verdadeiros filhos de Deus através de todas as eras.
Mas o Ganges, as florestas, as cavernas do Himalaia
E os homens sonham com Deus.
Sou abençoado, meu corpo tocou esse solo.”

* * *

Cronologia

20.000 a.C. – há sítios pré-históricos dessa época.

8.000-4.000 a.C. – Mesolítico = Idade Intermediária da Pedra

7.000 a.C. – assentamentos agrícolas

6.000-1.000 a.C. – Neolítico ou Nova Idade da Pedra

2.500-1.800 a.C. – cultura Harappan, sofisticada civilização urbana[1], floresce no vale do Indo.

1.800-800 a.C. – surgem comunidades agrícolas

1.500 a.C. – arianos migram para o noroeste da Índia; tinham economia pastoril e agrícola.

1.500-1.000 a.C. – período do Rig Vedaveneravam deuses da natureza.

1.200 a.C. – descoberta do ferro

1.000-600 a.C. – védico tardio.

1.000 a.C.-100 d.C. – sítios com túmulos megalíticos no sul da Índia

950 a.C. – suposta guerra do épico Mahabarata

566-486 a.C. – época de Budha. Neste período houve crescimento de muitos centros urbanos no norte e surgiram novas seitas religiosas, além do budhismo, o jainismo[2].

540-467 a.C. – época de Mahavira[3]

400 a.C. a 400 d.C. – reinos dos Cheras (atual Kerala), Cholas e Pandyas dominaram no extremo sul.

327-325 a.C. – Alexandre, o Grande, invade o noroeste da Índia, mas logo se retira.

321 a.C. – ascensão de Chandra Gupta Maurya, fundador da dinastia Maurya, 1º império indiano.

315 a.C. – Megástenes, escritor grego, visita a Índia.

269-232 a.C. – reinado de Ashoka, imperador da dinastia, um dos maiores dirigentes do país, grande protetor do budhismo.

260 a.C. – Ashoka conquista Kalinga (atual Orissa)

200 a 80 a. C. – invasão dos indogregos de Bactria, hoje Afeganistão.

165 a.C. – Menandro, rei indo-grego, governa o noroeste da Índia.

100 a.C.-220 d.C. – os Satavahanas dominam o Decã[4].

Sec. I d. C. – invasão dos partianos (persas).

52 d.C. – São Tomás de Aquino[5] na Índia.

50 a 300 d. C. – invasão dos kushanas[6].

78-110 d.C. – reinado de Kanishka, o maior rei kushana. Ele também protegia o budhismo e, nessa época, desenvolveu-se o budhismo mahayana.

225-310 – Ishvakus no Decã oriental (sul).

250-300 – construção das stupas[7] budistas de Nagarjunakonda e Amravati.

250-550 – dinastia dos Vakatakas no Decã – esculturas e pinturas magníficas em Ajanta[8].

275-550 – Pallavas – dinastia importante no sul.

300-399 – Ramayana e Mahabarata são compostos.

320-500 – a dinastia Gupta[9] estabeleceu-se como grande império no norte. Houve grande florescimento cultural. Na religião destaque para vaishanavismo (Vishnu[10]) e shaivismo (Shiva[11]). Fundação da Universidade Budhista de Nalanda[12].

335-375 – Reinado de Samudra Gupta.

450 – início das invasões dos hunos – seu governo foi longo e esclarecido.

476 – nasce Aryabhata, grande astrônomo e matemático.

600-1200 – a partir do sec. VII santos-poetas tâmeis, os alvaras (Vishnu) e nayanares (Shiva) pregavam contra a divisão em castas e práticas ortodoxas brâmanes, enfatizando a união pessoal com Deus. No sec. XI o budhismo entrou em declínio, menos na Índia do leste.

606-647 – reinado de Harshan.

608-642 – reinado de Pulakeshin II, rei da dinastia Chalukya[13].

630-644 – Huen Tsang (peregrino chinês) na Índia.

700 – mercadores árabes chegam à Índia ocidental.

736 – Dhillika (Delhi) fundada pelo rei tomar Anangpal Tomar-I, que restabeleceu a capital ancestral dos Pandavas.

740-973 – domínio da dinastia Rashtrakuta no Decã.

750-1150 – os Palas governam Bengala e Bihar.

750-1200 – Kanauj, antiga capital do império Harsha, era o núcleo do conflito entre três dinastias: pratiharas (norte da Índia do sec. VI ao XI), rashtrakutas (Índia subcontinental, do sec. VI ao X) e palas[14] [15].

783-1036 – domínio Pratihari em Kanauje Rajastão.

800 – Adi Shankaracharya[16] prega sua filosofia.

871-1216 – governo do império Chola de Thanjavur.

900-1192 – domínio da dinastia dos Gangas ocidentais, construtores de Shravana Belagola, cidade no estado de Karnataka.

916-1203 – governo da dinastia dos Chandelas, construtores de Khajuraho, pequena cidade no estado de Madhya Pradesh.

973-1192 – governo do clã dos Chauhans de Ajmer, cidade do Rajastão, no noroeste do país.

974-1233 – domínio da dinastia dos Paramaras na região de Malwa.

974-1238 – domínio da dinastia dos Solanquis de Gujarat, estado no oste da Índia.

998-1030 – invasões de Mahmud[17] em Ghazni.

1032 – templo Adinatha[18] no monte Abu, erguido pelos solanquis.

1050 – Ramanuja[19] prega o vaishanavismo[20].

1076-1438 – os Gangas orientais de Orissa constroem Konark (pequena cidade no distrito de Puri ) e Puri (cidade e distrito de Orissa ).

1110-1342 – domínio do império Hoysala.

1192 – Prithviraj, rei da dinastia Chauhan, derrotado pelo conquistador afegão Muhammad de Ghur.

1206-1210 – Qutbuddin Aibak, 1º regente turco do sultanato de Delhi , ergue o Qutb Minar[21].

1206-1290 – 1ª dinastia dos sultões de Delhi.

1206-1555 – a partir do sec. XI pregadores sufis[22] trouxeram do mundo islâmico novas ideias sobre arte, arquitetura, teologia e guerra.

1216 – dinastia Chola derrotada pelos pandyas.

1228 – Ahoms (descendentes da etnia Tai ) reinam em Assam, estado do leste da Índia.

1288-1293 – Marco Polo (mercador, embaixador e explorador veneziano) visita o sul da Índia.

1296-1316 – reinado de Alauddin Khiliji.

1320-1414 – domínio do sultanato tughluq.

1327 – transferência da capital de Delhi para Daulatabad, no oeste.

1336-1565 – império de Vijayanagar no sul proclamou sua independência.

1345-1538 – domínio ilyas shahis (1º governo independente Muslim) de Bengala.

1347-1518 – reinado muçulmano bahmani, no Decã, sul.

1388 – fundação do reino de Bengala.

1394-1505 – governo sharqi do sultanato de Jaunpur, distrito a noroeste de Varanasi.

1398 – invasão devastadora no norte por Timur de Samarcanda.

Século XIV – Delhi era a maior cidade do mundo islâmico oriental. Cresce a rejeição à hierarquia de castas.

1401 – fundação do reino de Mandu.

1407 – fundação do reino de Gujarat.

1408 – fundação do reino de Jaunpur.

1413-1451 – Sayyids – penúltima dinastia do sultanato de Delhi.

1440-1518 – Kabir[23], santo poeta do movimento Bhakti.

1451-1526 – reinado dos sultões lodis de Delhi, em sua última fase.

1469-1539 – Guru Nanak, fundador e 1º dos 10 gurus do sikhismo[24].

1498 – Vasco da Gama[25] chega a Calicut, na costa oeste.

Sec. XVI a XVIII – comerciantes europeus tomaram terras e guerrearam entre si e contra governantes indianos. Eram portugueses, franceses, holandeses e ingleses… os ingleses venceram.

1526 – Babur, imperador muçulmano da Ásia Central que fundou a dinastia Mogul[26], derrota o sultão de Delhi Ibrahim Lodi em Panipat.

1530-1556 – Humayun sucede Babur.

1555 – Humayun reconquista Delhi.

1556-1605 – Akbar se torna imperador e foi o mais notável do império mogul.

1571-1585 – Akbar ergue Fatehpur Sikri[27].

1600 – Rainha Elizabeth I concede licença à Cia da Índias Orientais, que obteve concessões comerciais do império Mogul. .

1605-1627 – reinado mogul de Jahangir. Ele e Jahan deixaram grande legado de arte e arquitetura.

1627-1658 – reinado mogul do xá Jahan que, em 1643, inicia o Taj Mahal.

1658-1707 – reinado mogul de Aurangzeb[28].

1661 – Bombaim/Mombai é transferida dos portugueses para os ingleses.

1674 – Shivaji, fundador do império Maratha[29], coroado chatrapati (soberano)

1690 – Calcutá fundada por Charnock, presbiteriano puritano inglês.

1727 – fundação da cidade de Jaipur, capital do Rajastão, por Sawai Jai Sing II.

1739 – Nadir, xá da Pérsia, invade Delhi.

1757 – batalha de Plassey – britânicos derrotam Siraj-ud-daulah, nababo de Bengala e Robert Clive[30] torna-se governador.

1761 – Ahmad, xá Abdali (uma das maiores tribos) do Afeganistão, derrota os maratas na 3ª batalha de Panipat.

1764 – batalha de Buxar: britânicos garantem domínio de Bengala.

1773 – parlamento inglês passou a exercer parte do controle sobre a Cia.

1774-1785 – Warren Hastings, 1º governador geral da Índia.

1789 – Maratas ocupam Delhi.

1799 – derrotado o sultão de Tipu, conhecido como o Tigre de Mysore.

1799-1839 – reinado de Ranjir Singh, fundador do império Sikh.

1803 – britânicos retomam Delhi.

1818 – reinos rajasthanis aceitam controle britânico.

1829 – governador geral Bentinck proíbe o sati[31].

1853 – 1ª ferrovia de Bombain até Thana.

1856 – anexação de Avadh.

1857 – motim indiano revela impopularidade da Cia; fim do império Mogul; o controle da Cia cobria quase toda a Índia atual, com altíssimos lucros.

1858 – a Coroa assume a Cia. Lord Canning é o 1º vice-rei.

1863 – Simla, no estado de Himachal Pradesh. se torna capital de verão do Raj.

1885 – fundação do Congresso Nacional Indiano, que forneceu plataforma para exigir o governo independente.

1899-1905 – vice-reinado de Lord Curzon[32].

1905 – separação de Bengala.

1911 – transferência da capital para Delhi, anunciada por um cortejo.

1913 – Rabindranath Tagore[33] é o 1º não europeu a ganhar o Nobel de Literatura.

1919 – Massacre de Jallanwala Bagh – tropas do Gal Reginald Dyer atiraram na multidão desarmada, matando mais de 300 pessoas.

1920 – movimento de não cooperação, lançado por Gandhi[34].

1930-1932 – movimento de desobediência civil.

1940 – Liga Muçulmana adota a Resolução do Paquistão como estado independente.

1942 – Movimento “Deixem a Índia”, convocado por Gandhi.

1947 – fim do domínio britânico na Índia. Houve muitas migrações de hindus e muçulmanos e levantes, em que morreram milhares de pessoas. Como 1º ministro, Jawaharlal Nehru [35] lançou os fundamentos de um Estado moderno.

1948 – assassinato de Gandhi.

1951-2001 – alfabetização foi de 18% para 66% e há excedentes de alimentos.

1952 – 1ª eleição geral, com sufrágio universal.

1961 – Goa, estado indiano na costa do mar da Arábia, libertado do domínio português.

1962 – guerra entre Índia e China, que invadiu o nordeste da Índia.

1965 – guerra com Paquistão.

1966 Indira Gandhi tornou-se primeira ministra.

1971 – Indira Gandhi despojou os príncipes de seus títulos e aboliu suas rendas privadas. Ajudou o Paquistão Oriental na luta contra o Ocidental, o que levou à formação de Bangladesh[36].

1975 – Indira Gandhi impôs um Estado de Emergência, com censura à imprensa e prisão de dissidentes.

1977 – Indira Gandhi derrotada nas eleições.

1980 – Indira Gandhi voltou ao poder.

1982 – Índia envia cientistas à Antártica.

1984 – Indira Gandhi assassinada por sua guarda sique. Seu filho, Rajiv Gandhi[37] assumiu o poder.

1991 – Rajiv Gandhi é assassinado por extremistas tamils – povo dravidiano habitante do sul da Índia, na campanha eleitoral.

1992 – destruição da mesquita Babri Masjrid leva a distúrbios comunitários.

1996 (a partir de) – uma série de governos de coalizão esteve no poder.

1998 – Amartya Sen ganha Nobel de Economia. BJP (Partido Bharatiya Janata) assume o poder. A. B. Vajpayee se torna Primeiro Ministro.

1999 – conflito com o Paquistão em Kargil, na Cashemira.

2000 – população chega a 1 bilhão.

2001 – terremoto em Gujarat, estado do oeste.

2004 – tsunami atinge Tamil Nadu, estado do sudeste e as ilhas Andaman na baía de Bengala, oceano Índico.

2007 – Prattibha Palil torna-se a 1ª mulher presidenta da Índia.



[1] As principais cidades tinham estruturas de tijolos, ruas em padrão de grade e elaborados sistemas de esgoto. Há ruínas de duas cidades: Lothal e Dholavira, em Gurajat.

[2] Estas religiões se popularizaram: não tinham castas nem sacrifícios e eram abertas a todos. Não tratavam de Deus e defendiam ahimsa: não agressão aos seres vivos. O Jainismo é uma das religiões mais antigas da Índia, juntamente com o hinduísmo e o budismo, compartilhando com este último a ausência da necessidade de Deus como criador ou figura central.

[3] Último dos 24 Tirthankaras (ser que conseguiu escapar do ciclo dos renascimentos e que ensinou aos outros como poderiam também escapar. A palavra é sinónimo de Jina = vencedor) do Jainismo. É considerado o fundador ou reformador deste sistema religioso.

[4] Vasto planalto, que conforma a maior parte do centro e do sul da Índia.

[5] 1225-1274 – frei dominicano, filósofo, teólogo, distinto expoente da escolástica, proclamado santo e Doutor da Igreja cognominado Doctor Communis ou Doctor Angelicus pela Igreja Católica Seu maior mérito foi a síntese do cristianismo com a visão aristotélica do mundo, introduzindo o aristotelismo, sendo redescoberto na Idade Média, na Escolástica anterior, compaginou um e outro, de forma a obter uma sólida base filosófica para a teologia e retificando o materialismo de Aristóteles. Em suas duas summae, sistematizou o conhecimento teológico e filosófico de sua época: a Summa theologiae e a Summa contra gentiles. A partir dele, a Igreja tem uma Teologia (fundada na revelação) e uma Filosofia (baseada no exercício da razão humana) que se fundem numa síntese definitiva: fé e razão, unidas em sua orientação comum rumo a Deus. Sustentou que a filosofia não pode ser substituída pela teologia e que ambas não se opõem. Afirmou que não pode haver contradição entre fé e razão. Explica que toda a criação é boa, tudo o que existe é bom, por participar do ser de Deus, o mal é a ausência de uma perfeição devida e a essência do mal é a privação ou ausência do bem. Além da sua Teologia e da Filosofia, desenvolveu também uma teoria do conhecimento e uma Antropologia, deixou também escrito conselhos políticos: Do governo do Príncipe, ao rei de Chipre, que se contrapõe, do ponto de vista da ética, ao O Príncipe, de Nicolau Maquiavel.

[6] O Império dos Kushana foi um estado político que teve o seu auge localizado entre os territórios atuais do Tajiquistão, Mar Cáspio, Afeganistão e vale do rio Ganges. A tribo dos Kushana pertence à etnia dos Yuezhi, que vive atualmente em Xinjiang, na China, e, possivelmente relacionados com os Tocarianos.

[7] Tipo de monumento ou parte de um templo, construído em forma de torre, geralmente cônica, circundada por uma abóbada e, por vezes, com um ou vários chanttras (toldos de lona). Originalmente, era um monumento funerário de pedra, semiesférico, com cúpula, mirante e balaustrada. Com o budismo, evoluiu para uma representação arquitetônica do cosmo.

[8] Ajanta é um conjunto de cavernas com pinturas rupestres de inspiração budista em Maharashtra (Índia) que remontam ao século II a.C.

[9] Filho de Chandra Gupta I de Magadha, primeiro imperador da Dinastia Gupta, é considerado como um dos maiores gênios militares da História da Índia.

[9] Império estabelecido por uma dinastia budista na parte oriental da Índia subcontinental. Pala significa protetor.

[10] Juntamente com Shiva e Brahma formam a Trimurti, a trindade divina hindú, sendo Vishnu o deus responsável pela manutenção do universo.

[11] É o deus renovador. Aquele que destrói para reconstruir. Um dos dois deuses mais poderosos do hinduísmo. Apresenta-se de várias formas: o extremado asceta, o matador de demônios envolvido por serpentes e com uma coroa de crânios na cabeça, o senhor da criação a dançar num círculo de fogo ou o símbolo masculino da fertilidade. Mais que os outros deuses é uma mistura de cultos, mitos e deuses que veem desde a pré-história da Índia. É a representação do Espírito Santo no hinduísmo.

[12] Nalanda significa “aquele que dá conhecimento”. Chegou a ter mais de 10 mil alunos. Em 1193, a Universidade foi saqueada por invasores muçulmanos. Quando o tradutor tibetano Chag Lotsawa visitou-a em 1235, encontrou-a em parte destruída, mas ainda funcionando com poucos monges. A destruição de Nalanda assim como de templos e monastérios no norte da Índia, onde havia centros de estudos, é considerada a causa do súbito desaparecimento do antigo pensamento científico indiano na matemática, astronomia, alquimia e anatomia. Restam algumas ruínas de Nalanda, que hoje não é mais habitada. Em 1951, um moderno centro de estudos budistas Pali (Theravada) foi fundado perto de Nalanda, o Nava Nalanda Mahavihara. O Museu de Nalanda contém alguns manuscritos e vários itens achados em escavações.

[13] No Decã ocidental construíram grandes templos em Badami, Pattandakal e Aihole.

[14] Império estabelecido por uma dinastia budhista na parte oriental da Índia subcontinental. Pala significa protetor.

[15] Todos se denominavam rajaputras, “filhos dos reis” e se diziam descendentes do sol, da lua, do fogo e de antepassados místicos. Assim como outras dinastias, guerreavam entre si e não foram capazes de se unir contra ataques externos. Nessa época, já se cultivavam mais de 100 tipos de cereais e houver grande florescimento da literatura, escultura e arquitetura de templos.

[16] Santo, filosofo e poeta. Aos 10 anos já era um prodígio acadêmico. Fez de sua vida um exemplo que pudesse reconduzir os homens à senda da verdade. Em pouco tempo Shakara começou a ensinar entre os eruditos do pai, convertendo primeiro os professores, depois os alunos deste. Ao deixar o corpo físico, tinha só 32 anos. Durante este breve período, fundou quatro monastérios e criou 10 ordens monásticas. Foi a 1ª vez em que se organizou o monasticismo na Índia, e o sistema de Shankara perdura até hoje. Era mais um reformador do que um inovador.  Sua produção literária é enorme.

[17] Governador do império Ghaznavide, tornou a antiga capital da província de Ghazni na mais rica cidade e capital de um extenso império, que incluiu o território pertencente ao atual Afeganistão, uma parte do atual Irã, bem como algumas regiões a noroeste da Índia, como o atual Paquistão. Foi igualmente o 1º governador com o título de Sultão, que significou a sua quebra com a suserania do Califa.

[18] Um título do lorde Rishabha, o 1º Tirthankar do Jainismo.

[19] Teólogo, filósofo, poeta e escritor hindu, famoso por apresentar um comentário alternativo ao comentário advaita de Shankara aos Brahma-sutras, estabelecendo a linha de pensamento denominada vishistadvaita, uma interpretação do Vedanta considerada teista.

[20] Tradição do Hinduísmo, que se distingue de outras escolas por sua adoração a Vishnu, ou seus avatares associados (como Rama e Krishna), na categoria de original e supremo Deus.

[21] Minarete de tijolo mais alto do mundo, e importante exemplo de arquitetura indo-islâmica.

[22] Sufismo é uma corrente mística e contemplativa do Islã. Os sufis procuram desenvolver uma relação íntima, direta e contínua com Deus, utilizando-se, da prática de cânticos, música e dança, o que é considerado ilegal pela sharia de vários países muçulmanos.

[23] Compôs poemas que evidenciam a fusão entre o movimento de bhakti hindu e o sufismo muçulmano, movimentos religiosos que exercem profunda influência cultural em todo o mundo até os nossos dias.

[24] Religião monoteísta fundada em fins do século XV no Punjab (região dividida entre o Paquistão e a Índia).

[25] Navegador e explorador português, comandou os primeiros navios a navegar da Europa para a Índia, na mais longa viagem oceânica até então realizada, superior a uma volta completa ao mundo pelo Equador. No fim da vida foi, por um breve período, um dos governadores da Índia.

[26] Essa dinastia incentivou muito a literatura, arquitetura e artesanato, unindo o que havia de melhor nas tradições islâmicas e hindus.

[27] Cidade em estilo indo-islâmico com aproximadamente 500 anos, abandonada por falta de água apenas 14 anos após sua construção, e que permanece em ótimo estado.

[28] Considerado inteligente, eficiente e impiedoso, além de ser um devotado muçulmano. Começou o seu reinado prendendo o velho e doente pai, o xá Jahan, e matando os irmãos, seus rivais para o trono. Uma série de conquistas permitiu-lhe estender o Império Mogol cobrindo quase toda a Índia e Paquistão atuais e parte do Afeganistão. No entanto, nunca submeteu inteiramente os maratas do Decão, a parte peninsular da Índia e, já perto de sua morte, sua autoridade era amplamente desafiada. O fanatismo religioso de Aurangzeb levou-o a perseguir a população hindu, em vez de continuar uma política de conciliação, tal como fizera o seu avô Akbar. Foi talvez isso que apressou a fragmentação do império logo após a sua morte, aos 88 anos. Deixou a economia arruinada e sucessores fracos.

[29] Maratas – grupo étnico indo-ariano que vive no estado indiano de Maharashtra. Expandiram suas terras após 1647. Transformaram-se num estado poderoso no início do sec. XIX.

[30] Também conhecido como Clive da Índia, foi um oficial britânico, que estabeleceu a supremacia política e militar da Cia em Bengala. Responsável por garantir a Índia e a riqueza que se seguiu, para a coroa britânica, juntamente com Warren Hastings derrotou os franceses e os seus aliados indianos em Arcot (1751), Calcutá (1757) e Plassey (1757), sempre em inferioridade numérica. Foi governador de Bengala de 1757-1760 e novamente de 1764-1767.

[31] Antigo costume entre algumas comunidades hindus, hoje proibido pelas leis do Estado Indiano, que obrigava (no sentido honroso, moral, e prestigioso) a esposa viúva devota a se sacrificar viva na fogueira da pira funerária de seu marido morto. O termo é derivado do nome original da deusa Sati, também conhecido como Dakshayani, que se autoimolou, porque ela foi incapaz de suportar a humilhação de seu pai Daksha por viver enquanto seu marido Shiva morreu. O termo também pode ser usado para referir-se à viúva ou à mulher honesta.

[32] Nobre, diplomata, geógrafo político e estadista britânico. Governador-geral da Índia (1899-1905), deteve vários cargos políticos e acadêmicos, e escreveu muitas obras sobre geopolítica.

[33] Poeta, romancista, músico e dramaturgo, reformulou a literatura e a música bengali no final do século XIX e início do século XX.

[34] Mohandas Karamchand Gandhi, dito Mahatma, que em sânscrito significa “grande alma”, foi um dos idealizadores e fundadores do moderno Estado indiano e um defensor dos princípios da não-violência e da Verdade como um meios de protesto.

[35] 1º (e até hoje o de mandato mais longo) primeiro-ministro da Índia, de 1947-1964. Líder da ala socialista no congresso nacional indiano durante e após o esforço da Índia para a independência do império britânico.

[36] País asiático rodeado quase por inteiro pela Índia, exceto a sudeste, onde tem uma pequena fronteira terrestre com Myanmar, e a sul, onde tem litoral no Golfo de Bengala.

[37] Primeiro-ministro da Índia entre 1984 e 1989 e líder do Partido do Congresso Nacional Indiano. Filho mais velho de Indira Gandhi, a quem sucedeu no governo indiano após seu assassinato por seus guarda-costas sikhs (nota 14).

]]>
http://chieffi.com.br/viagem-a-india-em-jan-2013/feed/ 2
Doha, capital do Qatar http://chieffi.com.br/doha-capital-do-qatar/ http://chieffi.com.br/doha-capital-do-qatar/#comments Sun, 07 Apr 2013 22:00:29 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=1035 Read More »]]> Doha ou Doa (Dawa, literalmente “a árvore grande”) é capital do Qatar. Localizada às margens do Golfo Pérsico, na costa leste do emirado, a cidade é o principal centro econômico, cultural e financeiro do país. Além disso, é a cidade mais populosa, sendo que possuia quase um milhão de habitantes em 2008, concentrando cerca de 80% da população. Doha também é sede da Cidade da Educação, uma área destinada à pesquisa e educação, além de ter sido escolhida como sede da Copa do Mundo FIFA de 2022.

O voo foi looongo, mas muito bom e chegamos em Doha! O hotel é bem legal, mas a vista de nosso quarto (meu e da Lelê) deixa a desejar…

A cidade é bonita, muito limpa (inclusive recicla lixo), “rodeada” pelo golfo pérsico, com um mercado das antigas mas também muito limpo e repleto de coisas lindas, povo simpático e educado, comida (árabe, claro) gostosa. Ah, é um pais emergente e Doha lembra Dubay, com aqueles edifícios estilosos. Porém quem já esteve em Dubay diz que lá só tem os tais edifícios, mas não tem o calor e o aconchego de Doha!

Passamos parte do dia num city tour. Fomos a um local onde há águias em treinamento. Elas ficam de olhos vendados. Dá pena, muita pena… fomos ao lindo Museu de Arte Islâmica , à 1ª mesquita projetada por uma mulher (maravilhosa!); ao lado dela há um imenso pombal!

Ah… impossível não comentar sobre as mulheres de burga! Encontram-se muçulmanas vestidas normalmente, quase normalmente (só com um lenço na cabeça), de burga e rosto à vista, de burga e só olhos à vista ou de burga com uma espécie de véu transparente na área dos olhos. Ficamos sabendo que a maneira como se vestem depende da família, principalmente do marido… Não gostam muito que fotografe, mas algumas topam. Veja fotos de Doha!

]]>
http://chieffi.com.br/doha-capital-do-qatar/feed/ 0
Bangalore e o banho de energia http://chieffi.com.br/bangalore-e-o-banho-de-energia/ http://chieffi.com.br/bangalore-e-o-banho-de-energia/#comments Sun, 07 Apr 2013 21:00:29 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=1025 Read More »]]> Bangalore, também traduzido Bengaluru é a capital do estado de Karnataka. Localizado no Deccan Plateau no sudeste de Karnataka. É a 3ª cidade mais populosa da Índia (em torno de 8,5 milhões em 2011) e a 5ª de maior aglomeração urbana. É bem conhecida como um centro de informações tecnológicas, sendo uma das 10 maiores concentrações empresariais do mundo. É sede de muitos colégios reconhecidos e instituições de pesquisa.

Numerosos setores públicos de indústria pesada, empresas de software, aeroespaciais, telecomunicação e organizações de defesa estão localizadas na cidade, conhecida como Vale do Silicone da Índia devido à sua posição de controle das exportações. Uma cidade demograficamente diversificada, é o maior centro econômico e cultural e o 2º maior crescimento metropolitano da Índia.

È chamada a “cidade jardim” da Índia. Tem parques amplos, muitos jardins, casas com beirais típicos e gramados, árvores, flores e arbustos. Em janeiro e agosto: floradas de dálias, rosas e tagetes.

Chegamos a Bangalore de madrugada e já havia movimento nas ruas! Para minha surpresa a cidade é bem mais organizada do que eu imaginava. Ficamos no The Park Hotel – http://www.theparkhotels.com/bangalore/bangalore.html – Mr. Siraj Mukherjee; General Manager; 14/7 Mahatma Gandhi Road, Bangalore 560042; T: +91 (0)80 2559 4666 F: +91 (0)80 2559 4667; E:resv.blr@theparkhotels.com

Apesar da permanência ter sido de somente um dia, foi muuuito intensa! Primeiro fomos ao ashram de Ramakrishna , onde vivi uma experiência especial: ao parar diante de uma escultura de Vivekananda em tamanho natural, fiz uma mentalização e olhei bem nos olhos da imagem. Quando ia me afastar, tive a sensação de não poder; a impressão de que ele me prendia, que deveria ficar mais um pouco…

Em seguida fomos ver uma enooorme imagem de Shiva . Como 2ª. feira é Seu dia, havia muita gente e um longo ritual a cumprir. Tudo relacionado não só aos cinco elementos , mas a todos (creio que aos principais) os 12 templos de Shiva na Índia. É fácil perceber que somos estrangeiros, a começar por nossa cor, pois somos claros. Daí que uma senhora nos acompanhou todo o tempo, orientando e explicando cada passo.

Nem sempre entendíamos tudo, mas nesses casos, como em qualquer situação voltada à espiritualidade, o que vale é a boa intenção, a devoção, a fé. Foi uma experiência pra lá de especial e houve, entre os nossos, até quem não se sentisse muito bem depois…

Veja fotos de Bangalore!

]]>
http://chieffi.com.br/bangalore-e-o-banho-de-energia/feed/ 0
Trichy e seus três templos http://chieffi.com.br/trichy-e-seus-tres-templos/ http://chieffi.com.br/trichy-e-seus-tres-templos/#comments Sun, 07 Apr 2013 20:00:59 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=1088 Read More »]]> Ontem (dia 8) foi um dia de viagens – fizemos dois voos: de Bangalore a Chennai e de lá para Trichy, onde ficamos no Hotel Sangam – http://www.hotelsangam.com/home.html – Collector’s Office Road, Trichy – 620 001; Phone: 91-431-4244555/2414700; Fax : 91-431-2415779

Tiruchirappalli, Tiruchi ou Trichy, é uma cidade no estado de Tamil Nadu e o quartel general administrativo do distrito Tiruchirappalli. É a 4ª maior municipalidade de Tamil Nadu, a 4ª maior aglomeração urbana do estado e também um centro industrial e educacional importante. A cidade tem significado antigo e foi registrada em diferentes épocas. Tinha quase 900 mil habitantes em 2011.

O Instituto Nacional de Tecnologia (NIT), Instituto Indiano de Administração, Universidades Bharathidasan e de tecnologia tem seus campus na cidade. Trichy é internacionalmente popular pela marca de cheroot conhecido como Trichinopoly, charuto que foi exportado em larga escala para o Reino Unido no século XIX.

Fomos conhecer o templo dedicado ao elemento água. Há uma parte especial do templo onde só entram hindus. Shino foi lá e trouxe para nós flores de lótus, desejando um ano auspicioso.

É dito que Shiva é adorado aqui na forma de um lingam sob um jambeiro. Dois assistentes (ganas) de Shiva nasceram como elefante e aranha (depois de serem amaldiçoados). A aranha tecia a teia sobre o lingam para protegê-lo da luz do sol. O elefante adorava-o trazendo água em sua tromba e vertendo-a no Shiva Lingam. Assim o elefante destruía a teia de aranha. A aranha, com raiva, um dia picou o elefante na tromba, enquanto ele agitou sua tromba para matá-la. Ambos morreram no conflito, mas Lord Shiva concedeu Moksha (liberação) para ambos, por seus serviços devocionais. Também é dito que Devi Parvati (como Akhilandeswari) adorou Lord Shiva aqui na forma de Jala Lingam (Lingam feito de água).

* * *

Ficamos passeando em meio àquelas inúmeras (parece que são 2.000…), imensas e antiquíssimas colunas, que nos reportam a… a que? Quem lembra??

Enfim, são sensações indescritíveis, ao mesmo tempo de fora pra dentro e de dentro pra fora. É tudo muito grandioso, muito impressionante! E, em meio a tudo isso, claro, ela: a vaca – lá passando calmamente, dessa vez com um “dono” (?) que aproveitava pra ganhar uns trocados de quem a fotografava.

Almoçamos num restaurante popular, onde comemos um “comercial”, em que vinham nada menos do que 12 porções (sobremesa inclusa), acompanhadas de arroz à vontade todo o tempo. Poucos conseguiram comer tudo. Toda essa comida mais refrigerante custou, a cada um, o correspondente a R$ 6,00!

Observando a rua… é comum ver homens trabalhando nas calçadas como costureiros (com a máquina, veja!), barbeiros, passadores de roupa. Também é comum ver, nessas cidades do sul, igrejas e colégios católicos, inclusive com as crianças uniformizadas como não se usa mais no Brasil.

À tarde fomos ao Templo de Pedra, o Rock Temple. Foi construído numa pequena caverna e está a 83 metros de altura. Para atingi-lo, subimos 258 degraus… De lá há uma ótima vista da cidade. Ele fica numa região que é a verdadeira Rua 25 de Março de Trichy!

Quem ainda não conhecia, foi apresentado ao famoso tuctuc! Como também existe no Peru, trata-se de um veículo adaptado: é uma moto com carroceria.

Andar de tuctuc na Índia é uma aventura com muita emoção! Lembra muito os carrinhos bate-bate de nossos parques de diversão. Os motoristas aceleram, freiam e desviam sem aviso prévio e creio não ser recomendável um passeio desses logo após uma refeição. Mas, quando for à Índia, não perca: ande de tuc-tuc!!

10/1 – Hoje o dia foi bem cansativo e especialíssimo. Fomos (4h de ida + 4h de volta) de ônibus ao templo de Shiva dedicado ao elemento éter , o espaço. É o templo de Shiva mais importante de toda a Índia. Aí viveu Patanjali . A cerimônia foi bastante longa, mas esbanjou energia! O templo tem mais de 3.000 anos, imagine… Neste também um brâmane nos acompanhou, abençoou e explicou o que acontecia. Para quem veio buscar o que viemos… perfeito!

O velho templo de Chidambaram é dedicado a Shiva na sua forma de bailarino cósmico (Nataraja). É uma das cinco danças de salão (Sabha) de Nataraja e a mais famosa. Chidambaram é o Kanaka (ouro) Sabha. Este é o Akasa Sthalam representando o espaço entre os cinco Bootha Sthalams. A simples palavra “Kovil” pode automaticamente significar templo Chidambaram para shivaístas.

A palavra Chidambaram pode ser derivada de chit, significando consciência, e ambaram, significando céu (de aakasam ou aakayam); refere-se ao chidaakasam, o céu da consciência, que é o último alvo a ser atingido, de acordo com todas as escrituras vedas. Outra teoria é que é derivada de chit + ambalam. Ambalam significa um estágio de realizar artes. O chidakasam é o estado de suprema felicidade ou ananda e Lord Natarajar é essa representação simbólica. Os shivaístas acreditam que uma visita ao Chidambaram leva à liberação. Há ainda uma outra teoria, derivada da palavra chitrambalam, from chithu significando jogo ou dança de Deus e ambalam significando estágio.

Enfim… devíamos ter ido mais cedo! E teríamos lindas fotos ao menos do lado de fora! Considerando o horário que fomos, ao sair do templo já escurecia e não pudemos fotografar nem sequer o lado externo! (Essas fotos são da net). É que dentro deste templo não é permitido tirar fotos. A questão é que os templos são administrados ou pelo poder público ou por alguma entidade privada e quem administra é que faz as regras. “This is India!” Veja fotos de Trichy!

]]>
http://chieffi.com.br/trichy-e-seus-tres-templos/feed/ 0
Thiruvannamalai e Arunachala http://chieffi.com.br/thiruvannamalai-e-sua-montanha-sagrada/ http://chieffi.com.br/thiruvannamalai-e-sua-montanha-sagrada/#comments Sun, 07 Apr 2013 19:00:18 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=1014 Read More »]]> Thiruvannamalai ou Trinomali é uma peregrinação, templo e cidade e especial municipalidade no distrito de Thiruvannamalai no estado de Tamil Nadu.

É ponto de partida para o templo Annamalaiyar localizado no pé do monte Annamalai e um dos grandes templos de Shiva em Tamil Nadu. É associado com muitos yogis e siddhars , e mais recentemente o guru Ramana Maharshi, do sec. XX, viveu no monte Annamalai, hoje um popular destino turístico espiritual.

A profusão de deuses esperando para conceder diferentes bênçãos faz cada um sentir que um vendaval de graças pode ser obtido quando visitamos Thiruvannamalai.

Ficamos no Thiruvannamalai – Sparsa Resort – http://www.sparsaresorts.com/thiruvannamalai_resort.html; 34, Athiyanthal Village, Chengam Road; Thiruvannamalai – 606 603. Tel: +91 04175 – 236911/238111/235311/236211; Fax: +91 04175 – 236811; E-mail: infotm@sparsaresorts.com.

Viajamos 5h de ônibus – em estradas indianas… Tudo novo pra nós, tudo muito curioso. Áreas habitadas em praticamente toda a extensão da estrada, mas também há lindas paisagens!.

O Eco Resort é t-u-d-o d-e b-o-m!!! Inclusive tem música ao vivo a partir das 19h. Aqui (na cidade, não no hotel) tem muitos ocidentais e muitos bicho-grilos, como em São Tomé das Letras. Rola de tudo, inclusive drogas.

Muito curioso o grande número de cemitérios muçulmanos e cristãos que se vê ao longo das estradas (os hindus são cremados). Também há uns tantos colégios católicos como San Joseph, por exemplo e vimos uma freira que lembrou muuuito Madre Tereza (não tive coragem de fotografar…)

Hoje fomos ao templo de Shiva dedicado ao elemento fogo , Agni Linga Temple/Arunachaleswarar um dos maiores templos do país, com 10 ha, várias entradas e uma das torres mais altas da Índia, com 66m. Aqui em Annamalaiyar Temple Shiva é adorado como Annamalaiyar ou Arunachaleswarar representado pelo lingam, com sua consorte, Parvati na forma de Unnamulaiyamman. O templo ocupa lugar importante no shivaísmo. É associado ao fogo, chamado Agni e a deidade; Arunachaleswarar na forma de lingam é chamada Agni lingam. O templo é referido pelo Tamil Saiva, trabalho canônico do século VII, e por vários outros trabalhos importantes. Acredita-se que no século XIX o santo poeta Manikkavasagar compôs o Tiruvempaavai no templo.

O complexo do templo ocupa uma área de 10 ha e é um dos maiores da Índia Ele aloja quatro torres de entrada, os gopurams, sendo a mais alta a do leste, com 11 pavimentos e altura de 66m (217 pés), uma das torres de templo mais altas da Índia.

O festival Karthigai Deepam, celebrado na lua cheia de novembro/dezembro, quando um imenso farol é aceso no topo do morro. Pode ser visto de grande distância e acredita-se ser o shiva lingan de fogo encontrando os limites do céu. O evento é testemunhado por três milhões de peregrinos. Em cada dia de lua cheia uma adoração chamada Girivalam é seguida quando os peregrinos circundam a base do templo e o monte Annamalai. O Girivalam é realizado por em torno de um milhão de peregrinos.

Tem feito muito calor. Como no templo do Éter havia homens de bermuda, hoje alguns dos nossos “meninos” vieram trajados assim e não puderam entrar. Então alugaram dutis e ficaram muito bem!

Também “demos a volta” na montanha sagrada Arunachala. As aspas são porque, curiosamente, em vez de caminharmos junto à montanha, o fizemos por uma avenida movimentada, poluída e barulhenta (como todas por aqui), o que dificultou qualquer interiorização que a situação pedia. Isso decepcionou um bocado, considerando que desde que soube que viríamos à montanha sagrada me preparei pra isso, pois é muito importante o contato com a natureza. Afinal, na programação está “volta na montanha” e não na avenida. Além disso, um guia do hotel nos acompanhou, justamente para andarmos em torno da montanha. Já que não aconteceu, ele era totalmente dispensável, pois andamos 15 km pela tal avenida, num passo apressadíssimo, sem paradas. Uma verdadeira maratona!! Quem está acostumado a caminhadas sabe a necessidade de paradas para tomar água, alongar etc. Nada programado – cada um teve que se virar por si.

A decepção foi (só) parcialmente compensada por uma massagem ayurvédica no hotel. Eu tinha esquecido como é bom… quando voltar a Sampa quero ver se volto a fazer de vez em quando!

Estava prevista aula de Hatha Yoga com Osnir, mas não aconteceu.

13/01 – Hoje fomos ao ashram e à caverna onde viveu Sri Ramana Maharishi (1879-1950). Nascido Venkataraman Iyer, foi um mestre espiritual hindu (“jnani”). Ele nasceu de uma família de língua Tamil-Brahmin em Tiruchuzhi, Tamil Nadu. Depois de experimentar, aos 16 anos, o que mais tarde descreveu como liberação (moksha), ele deixou sua casa para viver em Arunachala, uma montanha considerada sagrada pelos hindus.

Ele viveu na montanha por toda a sua vida. Embora nascido Brahmin, ele se declarou um “Atiasrami”, a Sastraic estado não conectado a nada na vida e além das restrições de casta. O ashram que cresceu em volta dele, Sri Ramana Ashram, está situado no pé do monte Arunchala, a oeste da cidade de peregrinação de Thiruvannamalai.

Sri Ramana Maharishi sustentava que a forma pura de seus ensinamentos era o poder do silêncio que radiava de sua presença e aquietava as mentes. Ele deu ensinamentos verbais só para beneficiar os que não podiam entender seu silêncio (ou talvez não podiam entender como atingir o estado silencioso). Seus ensinamentos verbais foram ditos para fazer fluir de sua experiência direta de Atman como a única existência real. Quando pediam conselhos, ele recomendava autoquestionamento como o mais rápido caminho para moksha. Apesar de seus ensinamentos serem associados ao não dualismo, Advaita Vedanta e Jñana yoga, ele recomendava Bhakti para aqueles adaptados a isso e aprovava caminhos e práticas diversas.

Ele morou muitos anos na montanha sagrada Arunachala, numa caverna. O ashram, como não podia deixar de ser, “exala” energia. Para chegar à caverna fizemos uma boa caminhada montanha acima, o que compensou, parcialmente, a maratona de ontem, no asfalto. Foi bem bonito e agradável. Tanto junto ao ashram quanto próximo à caverna há inúmeros macacos. Amei!

Arunachala refere-se ao monte sagrado em Thiruvannamalai em Tamil Nadu, onde o templo Annamalaiyar está localizado. Todo ano no mês Tamil de Karthigai (Outubro/Novembro), a Karthigai Deepam, uma luz no topo do monte. Esse lugar é também conhecido por Arunagiri, Annamalai Hill, Arunachalam, Arunai, Sonagiri and Sonachalam. É o mais importante local sagrado para as pessoas praticarem Atma vichara (autoconhecimento) e um dos locais shivaístas sagrados no sul da Índia.

No fim da tarde voltamos lá para uma cerimônia e o darshan (benção) e foi muito interessante ouvir rapazes e meninos brâmanes cantando mantras, além da voz muito doce de uma moça. Passeamos mais um pouco e descobrimos túmulos de animais queridos: cão, , veado e, evidentemente, vaca!

Mais tarde, no hotel, comemoramos o aniversário da Patrícia, com bolo à moda indiana, inclusive. Que bom pra ela poder comemorar aqui!

14/01 – Hoje pela manhã, segundo nos disseram, fomos receber um “verdadeiro” darshan (benção): trata-se de Siva Shakthi, considerada santa. Dura apenas 15 minutos, tempo em que ela olha as pessoas, uma a uma, nos olhos. Não conheço sua história e por isso não sei a razão de ser considerada santa. Posso dizer que tem um olhar muito terno e passa muita calma interior.

O resto do dia foi “livre” e, evidentemente, fomos às compras. Já fizemos isso (com menos tempo livre) em Doha, Bangalore e Trichy. Na 1ª fomos a um Mercado, na 2ª havia um shopping na frente do hotel, não barato. Na 3ª descobrimos umas lojas “da hora”. Já aqui o centro é como um grande bairro do Brás em Sampa… acabamos numas lojinhas em frente ao ashram de Ramana Maharishi, que também são “da hora”.

Está mais do que na hora de falar um pouco do povo. É muuuita gente! No geral são amáveis, cumprimentam com a mão no peito ou um breve mantra, olham nos olhos…

Uma companheira, a Bia, disse que todas as mulheres merecem ser fotografadas, pois sempre estão arrumadas com seus sarees, sejam pobres, médias ou ricas.

Costumam colocar enfeites de flores nos cabelos, inclusive das bebezinhas – lindo! É um povo que gosta de ser fotografado. Eles pedem!

Voltando ao dia de hoje, de volta ao hotel, almoçamos e fomos à piscina. Depois fui ao manicuro! Nunca vi tanta atenção pra fazer as unhas. Curioso é que pinta no capricho, sem borrar e sem precisar limpar – além de tudo é econômico, pois não usa acetona nem algodão pra limpar! Ele cuida de toda a mão e até do antebraço e, enquanto esperava o esmalte secar, fez massagem na minha cabeça… Tudo isso sem dizer que o rapaz é um ótimo papo!

Hoje também estava programada aula com Osnir, que não aconteceu. A sala disponível foi considerada inadequada. Há no hotel um outro professor brasileiro, com 15 alunos, que dá aulas diariamente antes mesmo do café da manhã. Parece que nossas aulas ficaram para Chennai. Enfim… elas fazem falta, inclusive porque ficamos muuuitas horas sentados no ônibus! E por falar em ônibus, o tempo de viagem tem sido relativizado por palestras esclarecedoras do Osnir, que está na Índia pela 15ª vez!.

Pongal é um festival celebrado no sul da Índia no fim da estação da colheita. É um dos mais importantes festivais celebrados pelos tâmeis em seu estado, Tamil Nadu. Marca o início da jornada do Sol para o Norte, de seu limite mais ao Sul, um movimento tradicionalmente chamado uttarayana (período entre 14/01 e 16/07).

O Pongal coincide com o festival Makara Sankranthi, celebrado em toda a Índia como a colheita de inverno. Também representa o solstício, quando o Sol entra na 10ª Casa do zodíaco indiano, Makar (Capricórnio). Os tâmeis agradecem o Deus Surya (Sol) pela boa colheita e consagram o 1º grão a ele. Decoram suas casas com bananas e mangas e embelezam o chão com desenhos.

Este ano também houve a Maha Kumbha Mela mas, infelizmente não fomos nem um dia. Trata-se do principal festival do hinduísmo, que ocorre quatro vezes a cada 12 anos, rodando por quatro cidades: Allahabad, Ujjain, Nasik e Haridwar. Cada ciclo de 12 anos inclui o Maha Kumbha Mela (maha = maior) em Allahabad, onde milhões de devotos hindus se reúnem para se banhar no Sangam, local de encontro dos rios sagrados Ganges, Yamuna e Saraswati, para se purificar, naquele que é o maior festival religioso do mundo.

Veja fotos de Thiruvannamalai e sua montanha sagrada!!

]]>
http://chieffi.com.br/thiruvannamalai-e-sua-montanha-sagrada/feed/ 1
Chennai, capital de Tamil Nadu http://chieffi.com.br/chennai-capital-de-tamil-nadu/ http://chieffi.com.br/chennai-capital-de-tamil-nadu/#comments Sun, 07 Apr 2013 18:00:53 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=1010 Read More »]]> 16/01 – Ontem viemos para Chennai. Já no aeroporto me chamaram a atenção as “boas vindas”. É uma cidade bem grande. O hotel daqui e chiquetésimo! Finalmente um hotel com sauna – curtimos bem.

The Park Hotel – http://www.theparkhotels.com/chennai/the-park-chennai.html – Mr. Lemuel Herbert; Associate Vice President & Area General Manager; 601, Anna Salai, Chennai 600006, T: +91 (0)44 4267 6000; F: +91 (0)44 4214 4100; E: resv.che@theparkhotels.com

Chennai, formalmente Madras, é a capital do estado de Tamil Nadu. Localizada na costa Coromandel da baía de Bengala, é o maior centro comercial, cultural e educacional do sul da Índia, sendo o porto de Chennai o 2º maior do país. Segundo o censo de 2011, a cidade tinha 4.68 milhões de residentes, sendo a 6ª mais populosa da Índia; a aglomeração urbana, que comporta a cidade e seu subúrbio, chega a aproximadamente 8.9 milhões, sendo a 4ª maior área de população metropolitana no país.

Embora a área tenha sido parte de sucessivos reinos no sul da Índia por séculos, a história registrada da cidade começa nos tempos coloniais, especificamente com a chegada da Companhia Britânica no leste da Índia e o estabelecimento, em 1644, do Forte São Jorge, uma decisão inglesa. Chennai tornou-se metrópole com lindas e clássicas construções europeias para os visitantes.

A economia de Chennai é baseada em automóveis, computadores, tecnologia, fabricação de hardware e indústrias de cuidados com saúde. Essa é a 2ª maior cidade indiana exportadora de tecnologia da informação e negócios de serviços terceirizados. A maior parte da indústria de automóveis indiana está baseada ou fica em volta de Chennai, que é chamada de Detroit da Índia. É também um centro importante para música Carnática e hospeda um grande evento cultural, o anual Madras Music Season, que inclui performances de centenas de artistas. A cidade tem um vibrante teatro e é um importante centro de Bharata Natyam, um tipo de dança clássica. A indústria de filmes Tamil está baseada em Chennai.
No almoço comemos Pizza Hut num shopping, imaginem! É que, apesar da comida indiana ser muito saborosa, ela é servida nas três refeições (como na China) e aí… até Pizza Hut desce, pra variar! Fizemos mais umas comprinhas no shopping (imenso!) e à noite comemos um sanduba natural e tomamos um café requintado no Barista – muito bom!
Hoje fomos ao 4º templo de Shiva, dedicado ao elemento Ar Vayu Linga Temple/ Srikalahasti.. Infelizmente tivemos que deixar as câmeras antes de entrar: no photos! Há templos em que se paga para entrar com a câmera. Em outros, é livre. Desta vez não tivemos um brâmane nos acompanhando especialmente, então entramos no meio da galera, que aqui sempre é muito numerosa – novas emoções!

Srikalahasti Temple – Malayalam: está localizado na cidade de Srikalahasti, no estado de Andhra Pradesh. É um dos mais famosos templos de Shiva no sul da India, e é dito ser o local onde Kannappa, um dos 63 shivaístas Nayanars, ofereceu seus olhos para cobrir o sangramento do Shiva linga antes que Shiva o detivesse e lhe concedesse mukti .

O templo Sri Kalahasti, situado a 36 km de Tirupati é famoso por seu Vayu linga, representando o vento. A parte interna do templo foi construída em torno do século V e a parte externa foi construída no século XII. Vayu é encarnado como Shiva e adorado como Kalahasteeswara.

Na volta encontramos com uma boiada na estrada. Foi um dia cansativo: 3h30 de ida + 3h30 de volta. O cansaço foi em parte compensado pela alegria dos meninos na chuva e das meninas ao nos ver no ônibus!

17/01 – Hoje fomos ao 5º e último (da peregrinação) templo de Shiva, dedicado ao elemento terra , Prithvi Linga Temple/ Ekambarawarar, que nos enraíza e ajuda a manter os pés no chão. Pelas características desse elemento, bom que tenha ficado pro final. Muitos fazem reverência, no templo, tocando a testa no chão. A família com a menininha a deitou no chão para isso!

Na saída fomos intensamente assediados por vendedores de sandálias!

Este templo é o maior na cidade de Kancheepuram e está localizado na parte norte da cidade. O templo gopuram (torre do portão) tem 59m de altura, sendo um dos mais altos gopurams na Índia. Conhecida como a cidade dos templos, Kancheepuram é um dos sete grandes centros da antiga Índia. Foi capital real, florescente centro budista e jainista mencionada no Tamil Epic Manimekalai, tem sido associada aos reis Pallava e Chola e foi conectada com vidas de santos. Durante o período Chola foi lugar de arte, religião, educação e negócios. Os reis Cholas construíram muitos templos dentro e em torno de Kancheepuram, também chamada Kanchi.

Este vasto templo ocupa área em torno de 40 acres e é um dos antigos templos que existiam no ano 600 AD. Os reis Pallava, Chola e Vijanagara contribuíram para a construção do templo. Shiva é adorado aqui como Prithvi Lingam (Lingam da terra). Não há um relicário separado para a deidade feminina como costuma acontecer nos templos de Shiva fundados em Kancheepuram. Os quarto famosos santos shivaístas, Appar, Sambandar, Manickavasgar e Sundarar cantaram a glória deste templo.

Havia sido aventada a possibilidade de vermos o sol nascer na praia mas, como não se tocou mais no assunto, metade do grupo (eu inclusa) foi conhecer a praia, o mar da baía de Bengala. Foi ótimo, muito lúdico. Parecíamos crianças pulando ondas no mar. Aqui, por razões que desconheço, não tomam banhos de mar como fazemos. As famílias passeiam na praia, porém totalmente vestidos. No máximo molham os pés. Vimos que também há passeios a cavalo.

Íamos almoçar num restaurante ayurveda, mas a viagem foi mais longa do que o esperado e desistiu-se, sem mesmo consultar o restaurante. Almoçamos num local simples e muito saboroso perto do hotel.

Os indianos não são sectários. Talvez por pertencerem a uma cultura tão antiga, não tem o que temer e assim aceitam bem outros costumes e crenças.

Fora isso, aqui também não tivemos as aulas de Yoga previstas, desta vez porque a sala não estava disponível (imagino que não tenha sido reservada). Veja fotos de Chennai!

* * *

Finda a “parte sul” da viagem, duas constatações para vários do grupo: fez falta um guia local nos templos e ficamos um dia a mais em Thiruvannamalai, que certamente fará falta em Rishikesh, de onde foi diminuído um dia de estadia.

]]>
http://chieffi.com.br/chennai-capital-de-tamil-nadu/feed/ 0
Varanasi, cidade de Shiva http://chieffi.com.br/varanasi-a-cidade-mais-antiga-e-mais-sagrada/ http://chieffi.com.br/varanasi-a-cidade-mais-antiga-e-mais-sagrada/#comments Sun, 07 Apr 2013 17:00:50 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=1005 Read More »]]> Cidade de Shiva, o mais importante entre os 12 lugares em que o deus se refugiou. Quando se pede permissão para entrar na terra de Shiva, a estadia será muito auspiciosa.

Varanasi, também comumente conhecida como Banaras ou Benaras e Kashi, é uma cidade situada às margens do rio Ganges no estado de Uttar Pradesh, 320 km a sudoeste do estado capital Lucknow. É vista como a cidade mais sagrada da Índia pelos hindus, budistas e jainistas. É uma das mais antigas continuamente habitadas cidades do mundo (21ª) e a mais antiga na Índia.

A cultura de Varanasi é intimamente associada com o rio Ganges e sua importância religiosa. A cidade tem sido um centro cultural e religioso no norte da Índia por muitos milhares de anos. O Benares Gharana da música clássica indiana desenvolvida em Varanasi, e muitos proeminentes filósofos, poetas escritores, músicos, moraram ou moram em Varanasi.

As pessoas frequentemente se referem a Varanasi como “a cidade dos templos”, “a cidade sagrada da Índia”, “a capital religiosa da India”, “a cidade das luzes”, “a cidade da aprendizagem”, e “a cidade mais antiga da terra.”

Finalmente (minha expectativa era grande) viemos para Varanasi, a Benares de Lahiri Mahasaya. Ele foi o guru de Sri Yukteswar, por sua vez, guru de Yogananda, o autor de Autobiografia de um Yogue e vários outros livros. Saímos às 8h do hotel de Chennai e chegamos ao hotel daqui às 21h!! De novo dois voos. Tudo correu muito bem e estou feliz de ter chegado a essa terra sagrada. O hotel aqui também parece muito bom – é um antigo, reformado. Ramada Plaza- http://www.ramadajhvvns.com/; The Mall, Cantonment, Varanasi – 221002; TEL:+91 (542) 2510000; Fax:+91 (542) 2500711; E-mail: info@ramadajhvvns.com

19/01 – Após o café da manhã fomos passear no gaths, as escadarias ao longo do Ganges. Chegando lá, assistimos um trecho de uma filmagem – muito legal, inclusive porque uma cabra fez com que fosse preciso regravar a cena… Há ali muitos palácios, construídos pelos marajás.

Os marajás, mesmo morando em outros locais, tinham palácios aqui, pois vinham morrer junto ao Ganges, acreditando que morrer aqui e ser cremado às margens do Ganges atinge a libertação do ciclo de nascimento e morte.

Varanasi tem aproximadamente 100 ghats, escadarias na margem do rio Ganges. Muitos dos ghats foram construídos quando a cidade estava sob o controle de Mahata Shindes e Peshwes que se salientaram como benfeitores de Varanasi. Vários deles são para banho, enquanto outros são usados como locais de cremação. Muitos ghats são associados com lendas e mitologias, enquanto outros são propriedade privada. O passeio matinal no Ganges pelos ghats é uma atração popular para os visitantes.

Aqui os tuctucs só chegam até um certo ponto da cidade. Varanasi está entre as cidades mais antigas do planeta e por isso tem muitos becos bem estreitos. Assim, por aqui caminha-se bastante, tanto pelos gaths quanto pelos becos que, como alguém já disse, lembram os tempos de Jesus (ou muito antes). Deve ter chovido ontem, pois havia muito barro no chão e até admiramos menos as construções tão antigas, pois precisávamos nos equilibrar. Um tombo nas ruas de pedras enlameadas não seria nada auspicioso… Almoçamos num restaurante muito simples, delicioso e onde paguei por um “escondidinho” de purê de batatas com champignon coberto de cebola bem frita + o refri local o correspondente a menos de R$ 4,00!

Em seguida fomos ver a casa de Lahiri Mahasaya (só por fora, porque tem gente da família morando lá) e a de Shibendu Lahiri, seu bisneto e “herdeiro” da tradição kriya yogui. Ele está viajando, mas pudemos entrar na área em que ele costuma receber as pessoas. Há lá um pequeno templo com a imagem de Lahiri Mahasaya, de seu filho e de seu neto (pai de Shibendu) e várias fotos de santos, inclusive uma de Jesus e até de Einstein!

Há também como uma caverna para Babaji, o guru de Lahiri Mahasaya, com uma grande imagem de Babaji. Subindo uma escada, chega-se à sala onde Shibendu recebe as pessoas e lá está o asana (no caso, uma manta) que Lahiri Mahasaya usava para meditar. A palavra emoção é muito pouco para traduzir o que senti por ter o privilégio de estar num local tão especialmente sagrado.

Em seguida fomos a uma rua/Mercado repleta de lojinhas e nos divertimos. Até comprei uma mala de mão, pois só trouxe uma mochila e uma mala média, que já se tornaram insuficientes.

No fim da tarde fomos ver o Arati (cerimônia diária do fogo) no Ganges, sendo que metade do grupo fez isso de um barco (eu inclusive) – d-e-m-a-i-s! Jantamos num shopping ao lado do hotel e… + compras!

20/01 – Acordamos às 5h para ver o sol nascer no Ganges e conseguimos! (Até ontem o tempo estava nublado). Lindo-lindo-lindooo!!! Voltamos pro café da manhã e todos comemos a mais, pois era mais tarde.

Alguns, como eu, só “almoçou” torta de maçã com sorvete, num local à beira da praia!.

Em seguida fomos mais uma vez ao que estamos chamando de “muvuca”, a área comercial. É muito divertido, pois há comerciantes mais “gente como a gente”, que até trocam emails. À noite voltamos ao McDonald’s, onde tem McVeg, bem bom! Imagine eu, de Pizza Hut a McDonald’s… só na Índia! Mas bem que podia ter McVeg em todas as lojas do mundo – ganhariam uns tantos clientes a mais, com certeza!

Mais sobre Varanasi – além de ser a cidade mais sagrada e mais antiga da Índia, por isso mesmo (?), como Thiruvannamalai atrai bichos-grilos e… drogas! É a triagem de aeroporto mais chata do país. Mas Varanasi é também a capital da seda… sim!! Imagine quantas écharpes, lenços, sarees e roupas em geral, de seda, há por aqui! E as combinações de cores? Infinitas!!

Aqui há muitos homens costureiros/alfaiates, lavadeiros, passadeiros… além dos barbeiros e sapateiros em plena rua!

A roupa é lavada no Ganges, que aqui é escuro, pois há muitas cremações e as cinzas são jogadas no rio sagrado. Mesmo no inverno, as pessoas se banham no Ganges.

No Ganges também há barcos-ônibus e barcos-loja.

Ao longo dos ghats também há templos e, em frente a um deles, fizemos um puja (oferenda).

Em Varanasi, além das vacas, macacos, cabritos… há os búfalos!

As agências de turismo (e até uns professores de Yoga…) não incluem Varanasi no roteiro. De fato, ela não é tipicamente turística, embora tenha uma boa infraestrutura hoteleira. Varanasi, como as cidades do sul que visitamos, é cidade de turismo interno, indiano. Para um ocidental gostar, precisa mergulhar em sua energia, em sua magia, em sua história, como (quase) todos nós fizemos.

Veja fotos de Varanasi!

]]> http://chieffi.com.br/varanasi-a-cidade-mais-antiga-e-mais-sagrada/feed/ 0 Rishikesh, capital mundial do Yoga http://chieffi.com.br/rishikesh-a-porta-dos-himalayas/ http://chieffi.com.br/rishikesh-a-porta-dos-himalayas/#comments Sun, 07 Apr 2013 16:00:26 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=1000 Read More »]]> 21/01 – A viagem de Varanasi a Rishikesh (avião + ônibus) durou mais de 15h… Tivemos um pequeno “acidente” na estrada. Foi só uma freada mais brusca, mas três pessoas caíram no ônibus e se machucaram um pouco (eu estava comportada em meu lugar). No hotel fomos recebidos com malas de rudraskas (tipo de colar com sement3s sagradas), café e sopa quentinha.

Hotel Vasundhara Palace – http://www.hotelvasundharapalace.com/; Kailash Gate, Muni-Ki-Reti; Rishikesh-249192 (Uttarakhand); Phone nº: 91+ 135 + 2442345; Mobile; 9927032032; Fax : 2442338; E-mail: hotelvasundhara@hotmail.com, vasundharapalace@yahoo.co.in

Rishikesh, também escrita Hrishikesh, Rushikesh or Hrushikesh, é uma cidade no distrito de Dehradun no estado de Uttarakhand. Localizada no pé dos montes dos Himalayas no norte da Índia, é conhecida como o portão para os Himalayas. Rishikesh é cercada por outros três distritos chamados Tehri Garhwal, Pauri Garhwal e Haridwar. Está localizada em torno de 25 km ao norte da cidade sagrada Haridwar e tem uma população permanente em torno de 75,000.

Conhecida como a “capital mundial do Yoga”, tem numerosos centros de yoga que também atraem turistas. Acredita-se que meditar em Rishikesh traz uma proximidade para atingir moksha, e permite um mergulho no rio sagrado que flui por ela. Rishikesh é famosa para Rafting (março a setembro) e Aventura.

A cidade também sedia o Ashram Kailas Brahmavidyapeetham, de 120 anos, uma instituição dedicada a promover os estudos do Vedanta. Proeminentes personalidades como os Swamis Vivekananda, Rama Tirtha e Shivananda estudaram nessa instituição.

Em fevereiro de 1968, os Beatles visitaram o agora fechado Maharishi Mahesh Yogi’s ashram em Rishikesh. John Lennon gravou a música, ‘The Happy Rishikesh Song’. Os Beatles compuseram 48 músicas enquanto estiveram no Maharishi’s ashram, muitas das quais aparecem no álbum branco. Muitos outros artistas, incluindo Mike Love e Donovan, visitaram o local para contemplar e meditar.

Rishikesh pode ser dividida em duas áreas: Ram Jhula e Lakshman Jhula. Jhula significa balanço. O ar fresco e o som de água corrente, a beleza cênica da região e o som distante dos sinos criam uma experiência inesquecível.

É dito que Lakshman atravessou o Ganges com cordas de juta no local onde está a ponte. Lakshman Jhula foi construída em 1939. Há lindas vistas da ponte. Ram Jhula foi construída em 1980.

22/01 – Ontem à noite chegamos com muito frio em Rishikesh e hoje também acordamos com bastante frio e vento. Porém… ao sairmos pra conhecimento de área, tivemos a surpresa de uma temperatura muito agradável, que nos acompanhou até o por do sol. É bom demais andar por Rishikesh! Lembra um pouco nossas cidades serranas, como Visconde de Mauá.

Fomos a um lindo templo (não dentro dele), onde há imensas imagens de Hanuman e de Shiva.

Continuamos a caminhada e chegamos à outra ponte sobre o Ganges (estamos perto de uma delas). Almoçamos num lugar bem legal, que tem até a bandeira brasileira na parede e pela 2ª vez comi um prato com batatas, delicioso. Neste restaurante até “ousei” tomar suco de limão com menta (hummm…); normalmente evitam-se sucos por causa da água não ser bem tratada. Continuamos a caminhada, fomos ao “centrão”, compramos temperos y otras cositas e voltamos… só pra deixar as compras no hotel.

Então voltamos pra rua, dessa vez bem perto do hotel, pro que estamos chamando de Boulevard, onde estão as lojinhas mais charmosas, bem no estilo de nossas cidades serranas.

Há dois tipos de macacos em Rishikesh: o menor, malandro e ladrão (de quem bobeia, claro) e o maior, de cara preta, bonzinho. Na volta paramos num Café, tomei um Chai com Nan Doce (é um tipo de pão), no caso, recheado de coco temperado e romãs. Bom!!.

23/01 – Hoje pela manhã subimos bastante para ver os Himalaias nevados do Kunjapuri Devi Temple. Lindo, lindo, lindo!!! Tanto o caminho quanto as montanhas propriamente ditas e a vista ao chegar lá em cima. Fomos num tipo de Van e, ao estacionar, ainda subimos 306 degraus! Fotografamos muito! Esse templo refere-se a uma das deusas mais importantes do intervalo thirtheen shivaleek. De lá se vê quase todos os picos do Himalaia, com mais de 6 e 7 mil m.

Descemos para almoçar e depois… fomos mergulhar no Ganges! Aqui ele é bem limpo, pois está próximo à nascente. A questão é o “batismo” no rio sagrado. Entra-se, mergulha-se três vezes, faz-se uma oferenda à deusa Ganga e assim termina a cerimônia. Tudo foi facilitado, porque tinha sol pra nos aquecer na saída. Mas a água é muito, MUITO gelada!

Em seguida mais compras, porque é tudo muito bonito e os preços são tentadores. E quase fui assaltada por uma vaca! Demos bananas a elas e uma nos seguiu. Mal percebi quando ela mordeu uma sacola de papel… puxei a sacola e ainda levei uma cabeçada dela no traseiro! Ahahahahaha!!!!!

Só dois dias em Rishikesh é, definitivamente, pouquíssimo! Assim que puder, volto aqui por duas semanas!! Veja fotos de Rishikesh!

]]>
http://chieffi.com.br/rishikesh-a-porta-dos-himalayas/feed/ 0
Delhi, a capital da Índia http://chieffi.com.br/delhi-a-capital-da-india/ http://chieffi.com.br/delhi-a-capital-da-india/#comments Sun, 07 Apr 2013 15:00:07 +0000 Ana Chieffi http://chieffi.com.br/?p=997 Read More »]]> 24/01 – Hoje fizemos mais uma longa viagem de nove horas até Delhi (200 km…) No caminho de repente tudo parou e não sabíamos se era uma greve, que poderia demorar muito, mas foi só um susto.

Estamos de novo no Hotel The Park, onde já ficamos em dois outros lugares. http://www.theparkhotels.com/new-delhi/the-park-new-delhi.html – Mr Abhijit Bose; General Manager; 15 Parliament Street, New Delhi 110 001; T: +91 (0)11 2374 3000; F: +91 (0)11 2374 4000 ; E: resv.del@theparkhotels.com

Delhi oficialmente National Capital Territory of Delhi (NCT) é a maior metrópole em área e a 2ª em população da Índia. É a 8ª metrópole do mundo em população com 16.7 milhões de habitantes, segundo o censo de 2011. A região recebeu status especial de capital regional nacional sob o ato constitucional (emenda 69), em 1991. Há perto de 22 milhões de residentes na área urbana expandida (que inclui as cidades de Noida, Greater Noida, Ghaziabad, Gurgaon, Sonepat e Faridabad e outras cidades próximas menores.

Delhi é conhecida por ter sido habitada ao menos desde o século VI a.C. embora se acredite que a ocupação humana já existisse 3.000 a.C. Durante a maior parte de sua história foi capital de reinados e impérios. Foi invadida, saqueada e reconstruída muitas vezes, particularmente na era medieval e a Delhi atual é um agrupamento de muitas capitais espalhadas por seu território. Também se acredita que Delhi tenha sido o local de Indraprastha, a capital dos Pandavas durante os tempos do Mahabharata. Delhi reemergiu como a mais política, cultural e comercial cidade ao longo das rotas de comércio entre o noroeste da Índia e o plano Gangetic depois da ascensão dos sultanatos É local de muitos monumentos antigos, locais arqueológicos e permanência.

Em 1639, o imperador Mughal Shahjahan construiu uma nova cidade murada em Delhi que serviu como capital do império Mughal de 1649 a 1857. Os ingleses capturaram Delhi em 1803 e George V anunciou em 1911 que a capital de controle inglês na Índia seria Delhi. Como uma nova capital, Nova Delhi, foi construída para o sul da antiga cidade nos anos 1920. Quando a Índia se tornou independente da Inglaterra em 1947, Nova Delhi foi declarada sua capital e sede do governo.

O nome Delhi é frequentemente usado para incluir áreas próximas (NCT), assim como para se referir a Nova Delhi, a capital da Índia, que está dentro da metrópole. Embora tecnicamente administrada como um território único, a administração política do NCT de Delhi hoje mais parece um Estado com legislação própria, alta corte e um conselho executivo de ministros encabeçado pelo Ministro Chefe.

Chegando a Delhi, fomos à Velha Delhi, e dá-lhe 25 de Março elevada à enésima potência! O que vimos de tecidos lá deixa qualquer “turco brasileiro” babando de inveja.

25/01 – Logo cedo fomos ao Yogoda Satsanga Society, fundado por Paramahansa Yogananda em 1917, três anos antes dele ir pros EUA. Foi emocionante estar ali, foi como uma visita a Yogananda. Lá, como tudo na Índia, os preços são bem mais baixos. Só não entendo por que a Self Realization Fellowship no Brasil não faz as compras daqui, em vez de fazer dos EUA, que cobra tudo muito caro para nós… Inclusive ajudaria o Yogoda em seus trabalhos sociais!

Yogoda Satsanga – significado: Yoga = união com Deus; da = que concede. Sat = Verdade ou Realidade e sangha = associação. Self-Realization Fellowship é a tradução de Yogoda Satsanga. Ambos querem dizer: A Associação com a Verdade que Concede a Autorrealização ou estado de Yoga (União com Deus). http://www.yssofindia.org

Yogoda Satsanga Society of India, a organização irmã da SRF, foi fundada em 1917 por Yogananda na Índia. Seus monásticos trabalham ativamente em numerosas obras sociais, como a manutenção de clínicas médicas gratuitas, a educação básica para milhares de crianças carentes, apoio a uma série de projetos, incluindo banco de olhos, tratamentos de tuberculosos, ajuda às vítimas da hanseníase, portadores de deficiência etc. Em 1993, por exemplo, Madre Teresa de Calcutá fez um apelo público de ajuda para restaurar um acampamento mulçumano em Calcutá, queimado e destruído um mês antes pelo conflito entre hindus e mulçumanos. A Yogoda Satsanga, que desde há muito e até hoje mantém estreita colaboração com a missão caritativa da freira, respondeu. Uma instituição hinduísta que tem em sua base a ponte para o Cristianismo e uma singela freira católica, se deram as mãos para minorar o sofrimento dos mulçumanos, porque para ambos não há diferenças, todos são filhos de um único Deus. Diversas obras sociais possuem o nome de Paramahansa Yogananda, a exemplo de um grande hospital e vários outros.

Na saída uma senhora deu umas bijuterias para distribuir entre nós. Fiquei com umas pulseiras, que sinto como um presente de Yogananda!

Depois fomos ao Lakshmi Narayan Temple, fundado por Gandhi e que homenageia “vários deuses”; infelizmente lá não é possível tirar fotos (são todas da net).

Na verdade os hindus são monoteístas. Os “vários deuses” são diferentes manifestações de um único Deus. Laxminarayan Temple (também conhecido como Birla Mandir) é um templo hindu dedicado a Laxminarayan em Delhi, Índia. Foi construído em honra a Lakshmi (deusa hindu da prosperidade), e seu consorte Narayana (Vishnu, Conservador no Trimurti) por B. R. Birla de 1933 e 1939, quando foi inaugurado por Mahatma Gandhi. Os templos laterais são dedicados a Shiva, Krishna e Buddha. O templo tem extensão de mais de 7.5 acres, é adornado com muitos santuários, fontes e um largo jardim, e também casas Geeta Bhawan para discursos. O templo é uma das maiores atrações de Delhi e atrai milhares de devotos nos festivais hindus de Janmashtami e Diwali.

Ao voltar fomos para a Jampath Road, a rua mais comercial da cidade (principalmente para turistas) e todos compramos muito, particularmente para presentear.

26/01 – Fomos a pé – uma boa caminhada – ao Ramakrishna Mission (ver Bangalore), outro espaço bem bonito.

Ramakrishna Math e Ramakrishna Mission do centro de um grande movimento espiritual, que aponta para a harmonia das religiões, harmonia entre oriente e ocidente, harmonia entre o antigo e o novo, realização espiritual, desenvolvimento de todas as faculdades humanas, igualdade social e paz para toda a humanidade, sem distinção de credo, casta, raça ou nacionalidade.

Várias atividades filantrópicas são empreendidas baseadas na vida e ensinadas de Sri Ramakrishna, Holy Mother Sri Sarada Devi, Swami Vivekananda com two-fold (?) lema” Liberação de cada um e serviço para Mankind “

Este centro foi declarado independente de Belur Math desde janeiro de 1999 e foi renomeado Ramakrishna Math (antes conhecido como Vivekananda Ashram), Ulsoor em 16.12.2003.

Na volta fiquei com a Sílvia Garcia batendo pernas no Paharganj Market.

Paharganj Market é um mercado popular, especialmente para turistas estrangeiros e abriga hotéis baratos. Também é lugar de compras baratas, se se quer variedade e surpreendentes preços baixos.

Para voltar, pegamos um rickshaw, que parece uma charrete movida a bicicleta.

Metade do grupo (eu não) foi conhecer o Taj Mahal em Agra. Decidi não ir porque fizemos, até aqui, uma viagem toda espiritualizada, voltada a visitas a templos e locais sagrados. A energia do Taj, que é um túmulo, (apesar de arquitetonicamente lindo) não combina com isso. Eu também não queria perder a programação de hoje. Quem foi, viajou 12h (6+6) e ficou lá só uma… mas gostaram, acharam muito bonito, como é sabido que é.

Acabou… QUE PENA!! Quando voltar (espero que logo!), além das duas semanas em Rishikesh, quero ficar ao menos uma em Delhi, pra conhecer minimamente essa megalópole. Esses dois dias, foram só pra dar uma espiadinha… Veja fotos de Delhi!

]]>
http://chieffi.com.br/delhi-a-capital-da-india/feed/ 0
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>
porno
?>