Praticamente todas as pessoas têm conhecimento de seu signo solar: aquele no qual se encontrava o Sol, quando de seu nascimento. É verdade que o signo solar representa a consciência, mas não é tudo. Quem por acaso tenha alguma curiosidade astrológica, deve fazer seu mapa astral, que é como uma fotografia do céu no momento de seu nascimento. No caso, o signo solar é como se fosse o pano de fundo, o embasamento geral para todos os outros dados fornecidos pelos demais signos com seus regentes e suas casas.

O mapa astral é apresentado dividido em 12 setores, as casas astrológicas, sendo a primeira a casa do ascendente. Aí observa-se qual signo estava no horizonte na hora exata do nascimento da pessoa em questão. Em sentido anti-horário são contadas as demais 11 casas e assim pode-se ver qual signo estava onde naquele exato momento. Da mesma forma procede-se com a Lua e os planetas, sendo que Sol, Lua e planetas são regentes dos signos.

As características observadas se correspondem. Explicando: o primeiro signo considerado é Áries, que pertence à casa 1 e é regido por Marte. Assim, Áries, Casa 1 e Marte seguem a mesma lógica, tendo características semelhantes. Além disso, consideram-se também os aspectos, isto é: se há conjunção, oposição (ou “polaridade”), quadratura e outros.

Tudo isso junto é analisado pelos astrólogos que, estudando e praticando podem ter uma visão bastante aproximada da personalidade de uma pessoa. Como todos temos todos os planetas e signos em algum lugar, não é demais dizer que temos o Universo dentro de nós. O que muda, evidentemente, é forma como se manifestam, o que, do ponto de vista astrológico, é justificado pelo mapa astral. É por isso, entre outras causas, que duas pessoas do mesmo signo solar podem ser tão diferentes, enquanto duas outras de signos diferentes podem ser tão parecidas.

Neste link, como em outros, recebi os arquivos pela internet. Eles exploram as características mais marcantes de cada signo. No link “humor”, também há arquivos bem humorados no mesmo sentido.