Tudo começou há 35 mil anos, pelo menos. Desenhos gravados em cavernas na França comprovam que, já naquela época, algumas pessoas lidavam com o mundo interior e, assim, obtinham no mundo exterior resultados muito concretos e benéficos, sim, mágicos e que respondiam a leis naturais, ainda que mal compreendidas, dessa metade de inteligência chamada racional ou científica.

Os primeiros estudos modernos interessaram aos xamãs da Sibéria e os etnólogos se acostumaram a usar o termo xamã para desenhar, nas tribos primitivas, os especialistas do mundo interior. Aqui no Brasil usa-se o nome pajé. Na América do Norte a palavra inglesa é medicine-man. Feiticeiro e bruxo são outros nomes usados, geralmente com hostilidade, por autoridades religiosas.

Psicologia é um outro nome, que abrange, com clareza e prudência, apenas uma parte do profundo mistério escondido no mundo interior. Os xamãs vão mais profundo, com ingenuidade, não sabem muito bem se explicar e usam referências diferentes das nossas.

A verdadeira substância do Universo é a consciência, a matéria-prima dos alquimistas. Tudo é feito de consciência, como a física moderna suspeita cada vez mais e como o sabe a física mais adiantada. É disso que falam os xamãs, quando falam de espíritos e, desses conhecimentos, tiram poderes, o Poder de lidar diretamente com as inteligências que nos cercam e regem os fenômenos. Tiram o Poder de curar, de prever o tempo, de mudar o tempo e chamar a chuva, de fazer crescer as plantas e prosperar a vida, tanto vegetal como animal e humana. Tiram o maravilhoso Poder de lidar com a Realidade.

Somos consciência, Luz, somos consciência-Energia; em Sânscrito: Chit-Agni. Não somos xamãs da pré-história, somos xamãs do fim do século XX, usamos os poderes xamânicos com os recursos de hoje.

Animais de Poder                                                                    A águia 

Cavalo                                                                                             Coruja & Gralhas 

O jacaré                                                                                          O jegue 

A mosca                                                                                         Serpente 

Os aliados                                                                                    Chamar o deus de um poder   

Chifres de luz                                                                             Magia no cotidiano

Os elementais                                                                           Feitiço

Guerreiro de luz                                                                     Iniciação

As inteligências da natureza                                        Maná

A máquina                                                                                 Seu corpo de música

Uma obra de arte                                                                  Rir

Sereptie                                                                                       O ritual Tchod

O voo xamânico