O Arcano Zero corresponde a Netuno, à espiritualidade em si, ao “Nada, Nada, Nada” de São João da Cruz, e ao Nirvana do Budha. É um Arcano perigoso, correspondendo a faculdades supraconscientes, então inconscientes, atuando de maneira cega. Arcano de confusão, de mística, de bebida, drogas e inspirações. Divino, quando consciente e em harmonia com os outros Arcanos. É um Arcano de totalidade: sozinho, é apenas um vagabundo, um louco.

O Arcano Zero precisa especialmente do Arcano 19, o Sol. Para entrar em comunhão, precisa de alguém. Alguém, um sol, uma consciência entra em comunhão, e isso tem valor. Mas, se você se aniquilar, você apenas entra em confusão.

Todos os planetas gravitam ao redor do Sol e o Sol ilumina os planetas. Em nosso mundo interior, o centro é o Sol da nossa consciência. Netuno, a mística, é apenas um planeta. Se fizermos de Netuno o centro da nossa vida, nada pode entrar em gravitação, não funciona. O espiritual, o Infinito, é apenas um fragmento de Realidade. A Realidade é tudo: espiritual, astral e material. O Arcano Zero precisa do Sol ou do Arcano 11, a Força.

Não podemos ser conscientes de tudo. Seria uma terrível confusão. Basta apenas sermos conscientes de que todos os poderes do inconsciente estão à nossa disposição. O Sol verdadeiro ilumina até Plutão. O Sol verdadeiro é o sistema solar inteiro. Todos nós temos todos os planetas em nosso mapa. Temos todos o poderes do sistema solar. Somos um holograma do Universo.